Longe de mim- Lindevania Martins

novembro 13, 2019


Longe de mim, de Lindevania Martins (2019, Sangre Editorial), é um conto narrado em primeira pessoa por Josi quando ela está com quinze anos, em uma narrativa linear que recupera acontecimentos de quando tinha dez anos. Nessa idade ela morava com a mãe, Rosana, em uma pequena casa que tinha apenas um quarto, um cômodo usado como sala e cozinha e um banheiro entre os dois espaços. 

O ponto inicial da narrativa é a entrada de Fernando na vida das duas. Josi o chama de “Outro” porque ele é visto e descrito como sendo o oposto de Paulo, chamado de tio por recomendação da mãe, assim como os demais homens com os quais Rosana se relacionou. Ao nomear Fernando como o “Outro”, a narradora também revela o fato de que ele é mais um em uma lista composta por diversos homens, é mais outro. Fernando entrou na vida delas quando Tio Paulo foi embora, abandonando as duas. Enquanto este último tinha a afeição da menina porque lia para ela e não brigava, o Outro é seu oposto, personificação de macho escroto: folgado, bêbado, bate em Rosana e assedia Josi.

Aos poucos entendemos que a mãe da protagonista engravidou muito nova, com apenas quinze anos, e foi abandonada pelo parceiro, tendo que criar a filha sozinha, portanto, é mãe solteira. Passou a se envolver com homens casados não porque gostasse, mas como uma forma de conseguir sustento para a si e para a filha. Josi, entretanto, cansada das trocas constantes de parceiros da mãe, não fica feliz com a situação delas e sente falta da figura paterna, ainda que não o tenha conhecido. 

A relação entre mãe e filha dá-se quase como numa inversão de papéis, pois a filha é questionadora, confronta a mãe, cobra o cumprimento de promessas, a consola quando está triste, é responsável e determinada. Mesmo com suas diferenças e conflitos, Rosana e Josi só tem uma à outra, e este fato as une.

Em sua narração, Josi deixa entrever a maturidade de quem desde cedo aprendeu a viver sem um pai, a viver privada de luxos, dormindo em um sofá na sala. Ainda assim, não deixa de ser a menina de dez anos que é, com a inocência característica da idade, ainda não perdida apesar de tudo. Solitária e triste devido às circunstâncias, encontra na boneca que ganha sem desejar, uma amiga com quem dividir seus incômodos. Assim, Josi resulta em uma personagem composta por camadas psicológicas que fazem com que nos inclinemos a estabelecer conexão emocional com ela.

Em determinado momento, a protagonista revela que não gosta da escola sob a justificativa de que as pessoas de lá a importunavam e a deixavam triste. Talvez este seja um tópico que pudesse ter sido melhor desenvolvido ou explicado, mas é um detalhe que não diminui em nada a qualidade do conto pois este supera as expectativas do leitor ao apresentar um desfecho inesperado e surpreendente, revelando a união de mãe e filha. Para além do modo como o conto termina, outro atributo que merece elogio e destaque é a voz narrativa centrada na ótica da protagonista, que é uma narradora habilidosa e revela aos poucos o cenário de sua vida.

Longe de mim é um conto que expõe temáticas sociais como abandono parental e violência contra a mulher de um modo corriqueiro. É na naturalidade com que essas temáticas figuram na narrativa que está sua importância porque não explicita uma militância que poderia afastar potenciais leitores. 
Lindevania Martins, mais uma vez, mostra-se uma exímia escritora de narrativas curtas. Assim como os contos reunidos em seu livro Zona de desconforto (2018, Editora Benfazeja), aqui temos personagens mulheres fortes, envoltas em um enredo que parece comum, mas que surpreende quando menos se espera. 


*Publieditorial. O conteúdo desta resenha reflete minha integral e sincera opinião.

You Might Also Like

0 comentários

Deixe seu comentário e vamos conversar!

Seguidores GFC

Total de visualizações