Teatro: Na cama

novembro 01, 2018


Texto por Mayra Guanaes
Confesso que não gosto de peças e filmes românticos e fui assistir Na cama porque já conhecia o trabalho da Cristiane Wersom. 
Superado meu preconceito inicial, me senti curiosa porque se trata da adaptação de um filme chileno que diziam ser muito bom e como me interesso bastante pelas produções artísticas dos países vizinhos, cheguei a pensar "Quais serão as proximidades entre as relações entre casais chilenos e brasileiros?". Já respondo: aparentemente, muitas.

Daniela e Bruno se conhecem em uma festa de casamento e logo após vão para um motel. A peça retrata a conversa que eles têm dentro do quarto e dialoga bastante com questões do mundo contemporâneo, das relações casuais, efêmeras e líquidas. 
Daniela (Cristiane Wersom) e Bruno (Pedro Bosnich). Foto: Kelson Spalato
No meio da madrugada se perguntam: "Mas quem pagaria para ver o que as pessoas fazem no motel?".

É bem verdade que os motéis não são um lugar cuja grande finalidade seja ficar conversando e o diálogo desse casal parece surgir porque não há muito o que fazer naquele intervalo quase ocioso entre uma relação sexual e outra. É nesse momento de vazio que a conversa se inicia a partir de assuntos prosaicos como nomes e filmes. No entanto, ao decorrer daquela conversa quando os personagens comentam fatos anteriores de suas vidas, a peça se mostra uma grande possibilidade de reflexão sobre escolhas que fazemos e quais as suas consequências. 

O teatro ainda é um lugar de muitas emoções e reflexões, esse lugar de encontro com questões que estão dentro de nós e por coincidência, muitas vezes estão ali, no palco também. Ri bastante porque me identifiquei muito com o que vi, mas também porque Na cama é uma peça leve, que utiliza o humor de um jeito muito fino. 

Tanto Cristiane Wersom quanto Pedro Bosnich parecem muito à vontade em cena, e tudo combina, o texto com as piadas, o cenário onírico e poético que nos cativa, chamando atenção junto com um desenho de luz lindo, assim que entramos na sala de espetáculo.

Fiquei com muita vontade de assistir o filme - En la cama - que originou a peça. É possível que a experiência de assistir um trabalho bom em cena, não se encerra no momento em que voltamos para casa.

Foi muito bom dividir a cama com este casal, recomendo esta peça, portanto.

Na cama
Texto: Julio Rojas
Direção: Renato Andrade
Elenco: Cristiane Wersom e Pedro Bosnich
Teatro Vira da Lata
Rua Apinajés, 1387
Sumaré
R$ 40 e R$ 20 (Meia)
Quintas, às 21h
Até 29/11

You Might Also Like

1 comentários

  1. É interessante como estas pequenas coisas do nosso dia-a-dia resultam em crônicas de tão boa qualidade, e tão inteligentes. De fato, uma peça que gostaria de assistir.

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita e pelo comentário :)
Se você for blogueiro, retribuirei a visita assim que possível.

Seguidores GFC

Total de visualizações

Google+