A cabeça do Santo- Socorro Acioli

julho 08, 2018

A Cabeça do Santo é um romance dividido em três partes, no qual, por meio de uma narrativa em terceira pessoa, conhecemos Samuel, o personagem principal. A narrativa tem inicio com o relato dos dezesseis dias que Samuel levou para percorrer o caminho que fez de Juazeiro do Norte para Candeia, à pé, para cumprir uma das quatro promessas feitas à mãe antes da morte dela, a de que iria atrás de sua avó e de seu pai, que lhe abandonou antes mesmo do nascimento. Os outros pedidos eram que Samuel acendesse velas, uma no santuário do Padre Cícero, outra nos pés de São Francisco e a outra nos pés de Santo Antônio.

Quando finalmente Samuel chega em Candeia, se depara com um povoado pequeno, com aspecto de abandonado: "Candeia era quase nada. Não mais que vinte casas mortas, uma igrejinha velha, um resto de praça. Algumas construções nem sequer tinham telhado, outras, invadidas pelo mato, incompletas, sem paredes". Quando encontra a casa da avó, esta não é muito amigável, não oferece nem um prato de comida, mesmo vendo as condições em que Samuel se encontrava, pelo contrário, dá indicações de onde ele poderá achar um local coberto para dormir e se proteger da chuva. Já de noite, Samuel vai para onde sua avó indicara, é mordido por uns cachorros no caminho, mas encontra o local. Dorme e acorda no dia seguinte com vozes de mulheres rezando. Samuel acha estranho e sai do local onde está para ver de onde vem essa reza toda, já do lado de fora percebe que passou a noite dentro da cabeça de um santo, uma cabeça gigante que ficava um pouco abaixo de um morro onde estava o restante do corpo. 
O episódio das vozes de mulheres rezando se repete de tarde. Aos poucos Samuel percebe que são mulheres rezando para Santo Antônio, sempre às cinco da manhã e às cinco da tarde, vozes diferentes, mas com algo em comum, o pedido de encontrar um amor e casar. Uma dessas vozes, no entanto, nunca reza, mas sempre canta, em uma voz belíssima e um idioma desconhecido.
Depois de uns dias sozinho na cabeça do santo, Samuel conhece Francisco, um garoto de treze anos que usava o local como esconderijo. Aos poucos os dois vão se tornando amigos e surge a ideia de usar esse dom estranho de Samuel, de escutar as rezas, em prol deles, de modo que na medida em que vão conseguido realizar os pedidos das mulheres que rezam, vão atraindo cada vez mais a atenção das mulheres das cidades vizinhas e Candeia vai se tornando muito movimentada, ganhando cada vez mais vida. Mas este destaque que a cidade vai ganhando não agrada a todos e Samuel começa a ser perseguido. A história de sua família começa a se misturar com a história da cidade.

Achei incrível demais o modo como tudo é bem articulado na trama, não há pontas soltas. Gostei também do fato de ter uma narrativa altamente visual, de modo que é possível visualizar todas as imagens descritas. Além disso, o modo como é exposta a realidade do sertão nordestino, com foco em duas cidades do Ceará, seu aspecto físico e sua forte crença na religião, é feito de um modo muito natural. 
Os capítulos são curtos, a narrativa é fluída e o enredo é criativo, com algumas pitadas de humor, além de apresentar um quê de realismo fantástico. Os personagens secundários desempenham papeis importantes ao longo da trama. É um livro que fala de fé, mas também fala de política.

A escritora cearense Socorro Acioli participou de uma oficina de escrita com o escritor Gabriel García Márquez, em 2006,na qual foram desenvolvidas  as ideias para a concepção deste romance. A escritora também ganhou o prêmio Jabuti de literatura infantil com o livro "Ela tem Olhos de Céu" (editora Gaivota)  em 2013. Atualmente está se dedicando à escrita do segundo volume da série Anabela em Quatro Atos. O primeiro volume é "A Bailarina Fantasma" (Seguinte, 2015).

You Might Also Like

0 comentários

Obrigada pela visita e pelo comentário :)
Se você for blogueiro, retribuirei a visita assim que possível.

Seguidores GFC

Total de visualizações

Google+