Este livro vai nos contar por meio de versos, o que o caracteriza como cordel, a história de Sebastiana, uma menina que tem a capacidade de controlar os fenômenos da natureza, a forma como isso é explorado é que vai determinar se é algo positivo ou negativo e esse uso da natureza como expressão dos sentimentos é um grande diferencial.

A história começa situando geograficamente o leitor, tudo se passa no Nordeste, mais especificamente na cidade de Santa Rita do Norte, onde se vive uma seca impiedosa.
O primeiro acontecimento narrado é o de Chica Parteira correndo atrás de água para realizar o parto de Lúcia Natalina, que depois de cinco filhos homens, almejava ter uma menina e finalmente seu desejo foi realizado: deu a luz à Sebastiana. Coincidência ou não, assim que a menina nasceu e chorou, começou a chover, o que foi motivo de muita alegria para os moradores, que há muito tempo não viam chuva. Aproveitaram para encher potes, baldes, tudo que pudesse armazenar água, banhar os animais...
Um dia, um dos irmãos da bebê Sebastiana percebeu que o choro da irmã, ou a ausência dele, era decisivo para chover ou fazer sol. Quando a cidade ficou sabendo dessa notícia, passaram a visitar constantemente a casa na qual morava a menina, o que perturbou a paz da família e trouxe consequências não tão agradáveis. Até que descobriram algo que fazia com que a menina não chorasse: rapadura.

O crescimento de Sebastiana se deu de modo a satisfazer as vontades das pessoas, manipulavam seus sentimentos para sorrir ou chorar, de acordo com suas necessidades. Sebastiana não tinha paz, até que deram início a um movimento para expulsá-la da cidade. Para sua sorte, um juiz justo se interessou por seu caso e decidiu julgá-lo.
A narrativa em cordel aumenta a beleza da história. As rimas, que tornam a leitura melódica, é um dos recursos que aliado às ilustrações belíssimas de Mateus Rios, prende a atenção do leitor ou ouvinte. Ainda que as páginas do livro sejam poucas, é uma história que tem o tamanho exato para encantar leitores de todas as idades, mas principalmente a partir dos 10 anos. Li esse livro para duas sobrinhas de dez anos e elas ficaram encantadíssimas com o enredo e com as rimas.

A capa dura e as folhas grossas são atributos que garantem uma maior durabilidade.
O livro pode ser adquirido na loja virtual da editora, clicando aqui.

*Exemplar cedido pela editora.

3 Comentários

  1. Hola María! Cuánta delicadeza, me encanté con los nombres de los personajes y con la magia que promete. Aunque la historia no deja de ser triste la forma como lo mezclan con el humor es increíble. Tiene poesía en sí misma.
    Abrazo grande y que recibas el año de la mejor manera.
    Muitos beijos

    ResponderExcluir
  2. Não sei o que foi mais sensível, suas fotos ou seu texto! Fiquei com vontade de ler, aliás, já tenho vontade de ler esse livro há tempos, agora fiquei com mais vontade ainda.
    __

    E sim, Feliz Ano Novo e que 2018 traga mais boas leituras, boas resenhas e coisas boas para você!

    Jaci
    Uma Pandora e Sua Caixa

    ResponderExcluir
  3. Mais uma recomendação sua que me enche de vontade de procurar o livro pra ler! E achei especial demais o fato de você ler o livro para as suas sobrinhas - e elas adorarem! A leitura costurando laços. (:

    Aline

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita e pelo comentário :)
Se você for blogueiro, retribuirei a visita assim que possível.