Dia 04/07 estive presente no lançamento do novo selo editorial independente, Arte Sabali Edições, que aconteceu na Blooks Livraria, do shopping Frei Caneca, em São Paulo. 
O selo foi criado pelas irmãs, Élida e Elaneida Reira, duas mulheres negras conscientes de sua posição de gênero e raça e do quanto o mercado editorial é excludente. Com o isso, esse projeto editorial tem como objetivo dar voz àqueles que são silenciados constantemente pelo mercado editorial, que também reproduz lógicas opressoras, uma vez que está inserido em um sistema opressor.

As duas primeiras publicações do selo são de autoria das irmãs: Élida Reira é autora do livro “Quando a música silencia” e Elaneida Reira é autora do livro “Malik quer saber: por que o papai não mora com a gente?”.
Cada uma das autoras fizeram uma fala a respeito de seus respectivos livros e um pouco sobre o objetivo do selo editorial.
Elaneida Reira começou apresentado números estatísticos sobre a composição de uma família brasileira e deu destaque para aquelas que não atendem à expectativa da imposição social e é não é “completa”, não segue ao modelo imposto socialmente do que deve ser uma família, como é o caso das mães-solo, aquelas mães que são solteiras, o caso tratado no livro, e o que isso pode causar no psicológico da criança. Com isso em mente, o livro pode auxiliar as famílias e educadores a lidarem com essa questão. Também apresentou o ilustrador do livro, destacou a importância de retratar crianças negras como protagonistas para que elas se vejam representadas e apresentou Nicolas de Melo Maia, o responsável pelas ilustrações que compõem o livro. Finalizou sua fala dizendo que “independente dos padrões, o que importa mesmo é amar”.
Da esquerda para a direita: Elaneida Reira, Nicolas Maia e Élida Reira
Logo em seguida, Élida Reira falou sobre seu livro de poemas e expôs o quanto ele é pessoal e exterioriza questões caras a ela enquanto mulher, negra, imigrante e o quanto a escrita foi importante para que pudesse se conhecer melhor. Também deu ênfase para o fato do quanto é uma constante o apagamento da história dos negros e consequentemente, de sua história, assunto presente em seu poema “Silêncio Batuqueiro”, declamado por ela na ocasião, como também “DNA”, o mesmo que compõe a quarta capa do livro.


Akins Kintê, poeta independente, com três livros publicados, também esteve presente no evento prestigiando as autoras e foi convidado a fazer uma fala. Ele aproveitou a oportunidade para contar um pouco de sua experiência como autor independente e demonstrou o quanto estava feliz com essa iniciativa.

Akins Kintê
Eu fui muito bem recebida, com muito carinho pelas duas, as autoras foram super atenciosas com todas as pessoas que estiveram presentes e além disso, a livraria também foi bastante acolhedora ao oferecer bebidas para as pessoas presentes.
Da minha parte, foi uma ótima experiência e manifesto meu total apoio ao esse projeto.

Para ver mais fotos do evento, acesse a página Arte Sabali Edições no Facebook.

Um Comentário

  1. Maria, super blogueirinha cobrindo eventos! Amei!
    Impressões de Maria cada vezes melhor trazendo novidades e informações que muitas vezes recebem pouco destaque no cenário dos blogueiros literários. Parabéns pelo trabalho <3

    beijos
    Psicose da Nina | Instagram
    Colunista no Estante Diagonal

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita e pelo comentário :)
Se você for blogueiro, retribuirei a visita assim que possível.