Este livro é ambientado em Bombaim, na Índia e dentre outras coisas, retrata as diferenças sociais que sabemos haver no país, intensificadas pela divisão de castas. 

As personagens principais são duas: Sera e Bhima. A primeira é uma mulher advinda de uma boa família, independente, com estabilidade financeira, que teve oportunidade de estudar e ser educada. Se casou com Feroz, um homem que a tratou bem até conquistá-la, mas depois do casamento, passou a bater nela frequentemente e Sera, além de ter que lidar com uma sogra que fazia de tudo para transformar sua vida em um inferno, se viu presa a um casamento que já não lhe fazia feliz, mas não conseguia sair dele ou pedir ajuda a ninguém porque tinha medo e vergonha de admitir que apanhava do marido. Já Bhima, não pode ser alfabetizada, teve que trabalhar como empregada doméstica para sobreviver, mas em contrapartida, casou com Gopal, um homem que a tratava como uma rainha e nunca levantou a mão para bater nela. Até que, depois de sofrer um acidente de trabalho e perder o emprego, Gopal se transformou totalmente, passou a beber, enquanto Bhima trabalhava para sustentar a casa.

O destino das duas se cruzaram quando Bhima começou a trabalhar como empregada doméstica na casa de Sera. Era ela que cuidava dos hematomas deixados por Viraf e por isso as duas foram desenvolvendo uma certa intimidade, ainda que com todas as limitações por Bhima ser a empregada e Sera a patroa.
Bhima, apesar de ser considerada da família, não pode sentar nos sofás e cadeiras da casa, nem usar os mesmos copos e talheres que a família. Bhima viu o nascimento e crescimento da filha de Sera, Dinah e agora acompanha sua gravidez, que é a alegria da família, enquanto Maya, sua neta, também está grávida, mas diferente de ser um acontecimento alegre, trouxe preocupações para a avó, que sem saber quem é o pai, não consegue imaginar como alimentará mais uma boca, além do julgamento por ser mãe solteira. Sem contar que Maya estava tendo os estudos na faculdade custeados por Sera, que sempre ajudou a família de Bhima, mas agora a jovem não pode mais continuar os estudos por causa da gravidez.
"(...) uma avó que está cansada das privações, de amar e perder, que não pode suportar a ideia de mais uma perda e nem de mais uma pessoa para amar". (p.20)
Por meio de flashbacks o livro vai retratar a realidade dessas duas mulheres e como suas histórias de vida se entrecruzam ainda que de forma assimétrica.
Foi uma história que me marcou muito porque apesar da particularidade de Bhima, que é uma mulher indiana, sua realidade não é muito diferente da de muitas mulheres brasileiras, que têm que começar a trabalhar cedo e não têm acesso aos estudos, acabando, muitas vezes, como empregadas domésticas, mas quando têm qualquer oportunidade de dar um futuro diferente para os filhos e filhas se agarram a ela com unhas e dentes.
Leitura indicada e experiência empática mais que garantida.

Um Comentário

  1. Oi Maria, tudo bem ???
    Tenho que confessar que nunca tinha cruzado com esse livro antes, mas ele conseguiu me conquistar por se passar na Índia.
    Gosto muito de histórias ambientadas em outros lugares, lugares que muitas vezes não vemos nos lançamentos e best-sellers das editoras. Adoro conhecer novas cuturas através dos livros, e também de perceber que, mesmo distante, as vezes nossas vidas se parecem.
    Me interessei muitíssimo pelo livro. Parece ser uma história cheia de lições e com toda a certeza lerei a obra !!!

    Beijinhos
    Hear the Bells

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita e pelo comentário :)