Dia 29 foi o quarto dia de Bienal e o meu terceiro no evento, os outros dois foram no dia 26 e 27.
Foi um dia muito divertido e proveitoso, principalmente porque estava acompanhada pelo meu amigo Tiago e da Ani, do Entre Chocolates e Músicas

Ani e Tiago
Nesse dia assisti a três eventos que aconteceram dentro da Bienal. O primeiro foi a palestra que começou 12h, na Arena TodaTeen: Novas Fronteiras Literárias: Ser Escritor na Era Digital, que contou com a participação das autoras Clara Savelli, Aimme Oliveira, Bruna Fontes e os embaixadores do Wattpad no Brasil, Fernanda Cunha e Felipe Santos. As autoras falaram de suas experiências pessoais de publicação, de como começaram a escrever em comunidades do Orkut até conhecerem o Wattpad e então publicarem de forma impressa. Deu para ter uma noção geral de quais são as novas formas de publicação online e seus benefícios, que vão desde a rapidez no retorno da qualidade do livro, passando pela proximidade com autor, até a formação de um mercado de cultura.

Da esquerda para direita: Fernanda Cunha, Aimee Oliveira, Felipe Santos, Bruna Fontes e Clara Savelli

É muito bom ter várias ideias simultâneas. Melhor ainda é quando contamos com equipe pra isso. Porém é importante saber do lado ruim de ter uma equipe e também fazer parte de uma. Qual afinal é o problema em se envolver em parcerias?
Na verdade, são vários problemas. O primeiro deles é que você fica escravo do projeto. Quando você se envolve ou se deixa envolver em projetos alheios, você fica a mercê de uma séries de imprevistos. Você também terá que prestar contas ao chefe ou à equipe (quando você é o organizador).
Outra coisa intrigante é que você não tem ideia se o projeto dará lucro ou então terá o mínimo e retorno. Seguindo nessa linha, começarão a vir os questionamentos que vão ficando cada vez mais agressivos.
Mesmo que não dê em nada o que você definiu, por uma série de motivos, a equipe não irá aceitar justificativas. Os colaboradores querem ver resultados de qualquer jeito. Não irá adiantar culpar os outros por isso.
Os desentendimentos irão aumentar em razão da equipe frustrada. E não é só isso; você também perderá a credibilidade para futuros projetos, além dos dissabores e animosidades. Tudo fruto de um esquema de produção mal elaborado.

Crie sempre um "Plano B". Se não der lucro, cada um receberá um valor parcelado ou então algum serviço no mesmo valor. Valorize a equipe, porque um dia você pode voltar a precisar dela.
Leo Vieira

Acompanhe a campanha de incentivo à leitura "Leia + Livros", do Leo Terário.


® Leo Vieira- Direitos Reservados 

Segundo dia de Bienal e primeiro final de semana.
Em comparação a ontem, percebi mudança desde o momento de pegar o ônibus gratuito na estação Tietê, porque tinha uma fila para entrar. O evento estava muito mais cheio, mal dava para se movimentar e as filas para os sanitários femininos estavam enormes.

Cheguei com a Marcia Lopes, do Mundo Literário, por volta de 13h30. Como já tínhamos a credencial, praticamente entramos direto. Fomos ao estande da Amazon, no qual estava acontecendo um bate-papo com autoras como Bianca Sousa e Catia Mourão. Depois fui encontrar a Nina, do Psicose da Nina e passei o resto do dia com ela, com a Raíssa, do O Outro Lado da Raposa, a Ana, do Entre Chocolates e Músicas e a Izabel, do Hear the Bells. Fomos participar de um evento organizado pela editora Rocco, que promoveu um bate-papo para os fãs de Harry Potter. Todos presentes ganharam uma eco-bag, um pôster e um marcador do novo livro da J.K. Rowling. Ainda foram sorteados um livro ilustrado e um box da série.
Após esse evento fomos ao estande M069, da Ler Editorial, onde encontramos as autoras Clara Savelli, Aimee Oliveira e Larissa Siriani. Conversamos e por volta das 19h saimos de lá.

Hoje foi o primeiro dia da Bienal Internacional do Livro de São Paulo e o meu primeiro no evento também. Pretendo ir nos dias 27, 29, 31, 03 e 04.


Na estação Portuguesa-Tietê peguei um ônibus gratuito disponibilizado pela Bienal e foi muito rápido. Acredito que em menos de dez minutos já estava no local do evento. Fui acompanhada da blogueira Márcia Lopes, do blog Mundo Literando. Tivemos um pouco de dificuldade para nos situarmos no momento de retirar nossas credenciais, mas depois que entendemos onde deveríamos ir, foi super rápido.


Lucinei Campos é um autor carioca que tem encantado e conquistado leitores de todas as idades e de todo o sudeste brasileiro.

Publicou seu primeiro livro, Lavínia e a Árvore dos Tempos, de forma independente em 2014, e seu segundo livro, Lavínia e a Magia Proibida, foi publicado em 2015 na Bienal do Livro do Rio de Janeiro. Seguindo a tradição de um livro por ano, seus leitores aguardam ansiosamente por seu próximo livro ainda em 2016.

Nos eventos em que está presente, é muito comum encontrá-lo vestido de mago, fantasia  que alude a um personagem de seu livro. Dentre toda a carisma e graça, a fantasia é um dos principais atrativos.

Se você vai para a Bienal do Livro de São Paulo esse ano, poderá encontrar esse mago adorável a partir do dia 29/08, no estande M69, da Ler Editorial. Suas sessões oficiais serão nos dias 02/09 (sexta), às 14h e 03/09 (sábado), às 16h.
Podem aparecer para tirar fotos e bater um papo, boas risadas são garantidas.
Na compra de qualquer livro do autor, além de marcadores, você também poderá levar para casa uma varinha temática ou uma caneta de pena.


Nas fotos e postagens, usem a hastag #EncontreioMagoBranco e vamos espalhar a magia nessa Bienal!


Este é um livro narrado em primeira pessoa por Lola Tavares. O livro é uma espécie de diário em que Lola relembra seu relacionamento com Gabriel Vegas. Ela o escreveu como uma forma de "exorcizar" Gabriel de dentro de si. Então sabemos desde a sinopse que o relacionamento deles não deu certo, mas não sabemos o motivo, que é o que vamos descobrindo aos poucos ao longo da narrativa.

Você já pensou em transformar o seu livro ou mesmo o de um amigo, ou outro livro preferido em peça de teatro? Muitas histórias podem ser adaptadas da forma que for, dependendo de sua criatividade.
Antes de tudo, todo livro tem uma forma de contar história. O filme, o gibi, a novela, o desenho animado, a poesia, a canção, etc. Todos eles são ferramentas para apresentar uma história.
O primeiro passo é após você ler e compreender bem a história do livro. A partir daí você vai resumir em tópicos para poder construir o roteiro.
O foco de um roteiro de teatro são os diálogos. Como tudo está concentrado em um palco, com poucas opções para troca de cenários, muitas das cenas visuais terão que ser contadas pelos personagens.
Noções de teatro também ajudam muito. Existem marcações, posturas, dicção, interpretação, entre outras disciplinas. Dominando tudo isso, você terá mais clareza para o que quer passar para o seu elenco e público.
Iluminação e sonoplastia são coisas essenciais, assim como toda a equipe que atua nos bastidores. Saiba operar essas responsabilidades, porque nunca se sabe quando pode ocorrer uma emergência.
Pode parecer bobagem, mas muitos profissionais também aprendem maquiagem e figurino (e até mesmo costura). Isso porque um profissional precisa compreender a linguagem que ele quer passar para o profissional adjunto ao projeto.
Quando tudo estiver estabelecido, com prazos, tabelas e valores; saiba como negociar diretamente com o teatro da escola. Não dependa dos outros e nunca faça nada com a espera de "vamos ver no que dá". Isso porque eventuais prejuízos podem aparecer e quem irá arcar com tudo?! A responsabilidade acaba sobrando nas mãos do produtor.

Calcule sempre de acordo com as suas possibilidades. Não pense alto.
Leo Vieira

Acompanhe a campanha de incentivo à leitura "Leia + Livros", do Leo Terário.


® Leo Vieira- Direitos Reservados 


Esse ano, entre os dias 26/08 e 04/09, acontecerá a vigésima quarta edição da Bienal do Livro de São Paulo e eu estou muito ansiosa e empolgada porque essa é a minha segunda Bienal da vida e a primeira como blogueira! Sem contar que vou conhecer a Nina, do Psicose da Nina, pessoalmente. Então, meu sobrenome já virou ansiedade.

Pensei e pesquisei algumas dicas básicas para quem pretende ir à Bienal esse ano. Espero que sejam úteis.
São elas:

• Vá com roupas e sapatos confortáveis (afinal, você passará muito tempo em pé e andará muito).

• Antes de sair de casa, veja a previsão do tempo para saber se não é uma boa levar uma agasalho e guarda-chuva (São Paulo tem um tempo doido).

• Leve uma mochila grande, de preferência com rodinhas. Principalmente se pretende comprar muitos livros (sua coluna agradecerá).

• Leve uma garrafinha de água e se hidrate (é muito importante se hidratar. Lá terá bebedouros para reabastecer sua garrafa).

• Leve lanches leves e saudáveis. (Lá também terá onde comprar lanches, mas sai muito mais barato se você puder levar de casa).

• Faça uma lista dos livros que pretende comprar (e resista ao desejo de querer comprar tudo que ver pela frente).

• Chegue o mais cedo possível.

• Se for encontrar amigos, marque pontos de encontro com antecedência (vai que o celular fica sem sinal).

• Se puder, também leve dinheiro para comprar os livros (vai que o sinal da máquina de cartões também não funciona).

• Veja a programação antecipadamente e faça um roteiro do que pretende fazer (a programação pode ser encontrada no site da Bienal).

• Leve apenas o necessário (para não ficar carregando peso à toa).

• Tome muito cuidado com objetos pessoais (como celulares, cartões) e documentos (mantenha-os sempre próximo ao corpo).

• Se possível, leve um carregador portátil (para não ficar sem bateria no meio do evento).

• Compre o ingresso pela internet (assim você evita passar algumas horas na fila para comprar).

Você também vai para a Bienal esse ano? Tem mais alguma dica para acrescentar? Divida conosco sua experiência!

Ter projetos é muito bom. As piores épocas de nossa vida são quando lembramos e identificamos que não fizemos absolutamente nada. Não conquistar é uma coisa, mas não fazer nada por onde é muito pior.
Nesses casos, para não perdermos o rumo nas ideias, a melhor alternativa é estabelecer metas através de um projeto.
Mas como não travar em um propósito? Existem várias alternativas que podem ser colocadas em prática.
Antes de tudo, você precisa definir o que quer. Não se perca nas escolhas. Tenha decisão. Não podemos fazer múltiplas coisas ao mesmo tempo. Faça comparativos de aspectos mais positivos antes de escolher.
Você também precisa definir aonde quer chegar. Quem não sabe aonde quer ir, qualquer lugar serve. Tenha um rumo.
Você também precisa ter um prazo pessoal. A vida é feita de prazos. Quando você acorda, você tem um prazo para se arrumar até sair de casa a tempo suficiente para ir trabalhar ou estudar. Da mesma forma você deve ter um prazo de início e fim para cada projeto.
Uma coisa que atrasa e atrapalha qualquer projeto é distribuir tarefas. Evite isso. Parcerias somente dão certo quando a outra parte está completamente engajada. Procure entender e saber resolver todas as tramitações sem depender de ninguém.
Exemplo: se você tem um projeto de livro, não tente depender de um diagramador, um revisor e/ou um capista. Se você não está pagando de imediato, acaba ficando escravo da boa vontade alheia, além de ser constrangedor ser cobrado financeiramente de um serviço que foi resultadode um projeto que não foi à frente.
Não dependa dos outros. Procure aprender e nem tenha preguiça pra isso. Você verá como as ideias florescem quando abrimos a mente para novos aprendizados.

Através desta fórmula, entre outras dicas, você estará pronto para tirar do papel aquele projeto literário, musical e artístico. Boa sorte!
Leo Vieira

Acompanhe a campanha de incentivo à leitura "Leia + Livros", do Leo Terário.


® Leo Vieira- Direitos Reservados 


Neste livro conhecemos Amanda e Lila, duas melhores amigas que vão passar as férias de inverno em um acampamento para músicos, destinado a crianças e adolescentes até 17 anos. Amanda só vai para esse acampamento para fazer companhia a sua amiga e por muita insistência da mesma, uma vez que seus conhecimentos musicais não passam de só saber tocar três músicas na flauta.

Qual o tamanho do seu sonho? Ele é simples, complexo ou surreal? Seja como for, não existe regra básica para seguir a trilha dos sonhos. O maior problema é sonhar sem fazer nada pra alcançar o propósito.
Quando planejamos, seja o que for, devemos esquematizar tudo para que fique o mais próximo da realidade. Isso envolve pesquisas, buscas, comparações, entre outras alternativas.
Se um projeto de livro ficou caro demais, comece a ver um orçamento direto com uma gráfica, assumindo os serviços de revisão, diagramação, capa e registros. Se ainda assim a impressão ficar alta demais, comece a pesquisar sobre livro artesanal e faça uma edição limitada. Há uma frase popular que diz: "quem quer, dá um jeito e quem não quer, dá desculpa".

O mundo é extremamente capaz em nos entristecer e nos desmotivar com empecilhos habituais. Então precisamos reverter isso com criatividade e perseverança.
Leo Vieira

Acompanhe a campanha de incentivo à leitura "Leia + Livros", do Leo Terário.

® Leo Vieira- Direitos Reservados 

Promoções, ofertas, sorteios, contatos, pesquisa de mercado, negociação com livrarias, negociação com gráficas, tramitações a fim de evitar terceirização (onde se acaba gastando mais), tudo isso é essencial para que as despesas sejam reduzidas, além de desenvolver mais o rumo da carreira do escritor e blogueiro. Inclusive, muitas propostas de trabalho surgem aos profissionais que "saem da toca". Nunca em uma época de inclusão digital se pudesse aprender
tanto através da praticidade de um smartfone ou do conforto a casa, em frente a um computador.
Entendemos que pode aparecer alguma indisposição em ter que aprender mais e fazer coisas que não nos competiria, mas devemos sempre pensar que "quem quer dá um jeito e quem não quer, dá uma desculpa".

O conselho desta vez é: use o que tem e faça a diferença.

Leo Vieira

Acompanhe a campanha de incentivo à leitura "Leia + Livros", do Leo Terário.

® Leo Vieira- Direitos Reservados