Diversas vezes eu desenhei a diferença de uma editora tradicional para uma editora por demanda. A tradicional investe tudo e promove a obra, através de um contrato editorial. A editora por demanda presta apenas serviços gráficos, onde é o autor que investe o dinheiro, assinando um contrato de prestação de serviços.

Editora Tradicional- investe no livro
Editora por Demanda- você que investe no seu livro

Editora Tradicional- contrato editorial
Editora por Demanda- contrato de prestação de serviços

Editora Tradicional- distribui, vende, divulga e presta conta das vendas
Editora por Demanda- te entrega o lote de livros e expõe no site. O autor é que promove venda e divulgação.

Em editoras tradicionais, também acontece de ter em seus inúmeros títulos, obras que têm mais potencial de mercado, principalmente quando for um livro estrangeiro já sucesso de vendas. Nesse caso, mesmo sendo "concorrente de si mesma", ela vai optar em promover a obra mais conveniente.
Já em editoras por demanda, todos os títulos têm o mesmo valor e ficarão de exposição no site para atrair novos clientes, além de possíveis compradores de livros na loja virtual.


Resumindo: editoras não são obrigadas a apoiar o autor e nem mesmo devem ser culpadas por isso. Sabemos sim que existem escritores preciosos no mercado, mas mesmo assim, eles ralaram muito para chegar até lá. E uma pergunta fica no ar: será que você está disposto a aprender e a se desenvolver neste caminho das pedras para fazer por merecer?


Leo Vieira

Acompanhe a campanha de incentivo à leitura "Leia + Livros", do Leo Terário.
® Leo Vieira- Direitos Reservados 

14 Comentários

  1. Concordo com você Leo!
    Entrar para o mercado editorial é uma luta de qualquer forma. Ou você se esforça (muiiito) para conseguir ganhar destaque nesse meio, ou desembolsa quase o valor de um carro para se promover e no fim não ganha quase nada em troca, além do carinho e prestígio.
    Ser escritor no Brasil requer amor pelo que faz.

    Adorei seu post!
    Abraços,
    Juliana.
    http://www.fabulonica.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Juliana. Obrigado pelo comentário.
      Eu sempre falo que existem duas frustrações de um autor iniciante. Uma é ele achar que vai vender muito somente porque a sua temática é sobre o assunto do momento. E outra é que em razão disso, ele já vai ganhar muito dinheiro.
      Eu já vi um autor que gastou R$17.500 (isso mesmo: dezessete mil e quintentos reais) na produção e lote de livros e tomou um baita prejuízo. Hoje ele vive praguejando que o mercado literário nacional é ruim e que os leitores não incentivam a literatura nacional...
      O seu blog é muito bom. Gostei muito.
      Grande abraço,

      Leo Vieira
      antroliterario.blogspot.com.br

      Excluir
  2. Oi Leo, tudo bem? Explicar para quem ,não quer entender é difícil :P
    Dia desses, veio um autor e editor aqui na minha cidade comentar sobre isso. Só faltou algumas pessoas pularem nele. E ele falou isso que você escreveu aqui. Que há diferença entre as editoras. Mas se os autores não querem entender, fazer o quê? No blog eu busco sempre orientar, mas as vezes a gente cansa.
    E sobre a sua resposta no post passado, é bem isso. Eu também não vendi horrores. Mas não tive prejuízos. Aliás, tenho lucros com as vendas.
    O que os autores precisam entender é que o livro não se vende sozinho. A galera acha que basta escrever, pagar para publicar e pronto, o livro será um sucesso. Mas a verdade é que o caminho é bem mais longo.
    Um abraço. Excelente postagem.
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gislaine. Obrigado pelo comentário.
      Eu tenho acompanhado críticas preconceituosas de escritores sobre editoras, como se elas fossem a vilã da história. Ainda tem gente que acha que editoras devem fazer milagres.
      Isso é o mesmo que culpar o mar pelo naufrágio.
      Grande abraço!
      Leo Vieira

      http://blogueirofronteiro.blogspot.com.br/

      Excluir
  3. Oi Leo!
    Nossa algumas coisas eu não sabia que tinha essa diferença não, achava que o serviço de venda era igual para os dois tipos de editoras.
    Realmente conheço autores que investem caro para conseguir entrar no mercado, mercado esse que é bastante desigual na concorrência em muitos sentidos.
    Parabéns pelo post!

    Abraços.

    http://madminds.weebly.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Leticia. Obrigado pelo comentário.
      Antes das editoras por demanda se tornarem populares (de uns 8 anos pra cá), publicar um livro era algo digno de veneração. Somente acadêmicos ou abastados que conseguiam essa proeza.
      Muitos autores conhecidos também investiram dinheiro pelas suas publicações, além de marketing e assessoria. Se um músico precisa fazer o mesmo, porque um escritor teria que fazer diferente?
      Seu blog é muito legal.
      Abraços,
      Leo Vieira

      http://escritorempreendedor.blogspot.com.br/

      Excluir
  4. É complicado, muitos escritores esperam serem descobertos. Se queixam de não venderem ou serem lidos. Quando muitas vezes cruzam os braços e esperam pela sorte. Fica difícil né?
    Em qualquer profissão que se escolha e poder estar plenamente realizado, deve se ter persistência, paciência e criatividade pra driblar quaisquer adversidades. Bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Oi, Marcia. Obrigado pelo comentário.
      Há uma frase que diz que "a viagem rumo ao sucesso nunca será de primeira classe".
      Eu tenho um amigo também escritor que quando vai almoçar no shopping veste uma camisa com a estampa: "SOU ESCRITOR, COMPRE O MEU LIVRO".
      Um escritor precisa ser antenado e cativante, porque não se pode esperar que tudo caia o céu.
      Beijos,

      Leo Vieira

      http://www.mundoliterando.com.br/

      Excluir
  5. É um tema bastante delicado. Acredito que qualquer investimento deve ser feito com total consciência, e não somente em busca de retorno financeiro. O problema de muitas editoras por demanda é a total falta de cuidado com o resultado final. Muitos livros estão repletos de erros e fadados ao fracasso, sendo que com uma assessoria melhor poderiam até dar bons resultados. Para cada serviço que a editora fornece o custo fica ainda mais alto, então o livro acaba chegando ao leitor sem uma boa revisão, etc. Por problemas assim, que plataformas como o wattpad crescem tanto. Infelizmente não basta ter talento.

    atraentemente.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Evandro. Obrigado pelo comentário.
      Eu penso assim: se o cara planeja publicar acima de 3 livros, é essencial que ele aprenda logo as tramitações sobre o que ele mais vai precisar investir. A solução é reduzir custos aprendendo como funciona a coisa.
      Sobe editoras por demanda que fazem um serviço mal feito, neste caso cabe uma boa pesquisa com referências.
      Algumas gráficas aceitam serviços pequenos. Se o escritor levar tudo pronto e diagramado, investindo trezentos reais, ele recebe um lote de 30 livros, sendo que se vender a metade, já tem de volta o investimento e o que vier depois disso é lucro.
      O seu blog é muito criativo. Parabéns.
      Abraços,
      Leo Vieira

      antroliterario.blogspot.com.br

      Excluir
  6. Não sabia desses detalhes, imaginava que todas as editoras escolhiam os autores e quem ficasse de fora poderia ficar sem seu livro publicado. Mas enfim, como nas outras profissões também é muito concorrido.

    http://www.vestigiodelivros.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Erivelton. Obrigado pelo comentário.
      Em vários segmentos, nunca foi tão fácil apresentar a sua arte. Acontece que o escritor precisa se mexer também. Leitores gostam de escritores conhecidos, então o jeito é fazer por onde, mantendo blogs, canais de videos e muita interação literária.

      Abraços,
      Leo Vieira

      antroliterario.blogspot.com.br

      Excluir

Obrigada pela visita e pelo comentário :)