Você finalmente realiza o sonho de publicar um livro! Junta uma boa grana, procura uma editora por demanda legal, investe nos registros, arte, revisão, diagramação, lote e quando lança... quase ninguém compra!
Você volta pra casa com aquela pilha inútil de livros e o volume é ameaçado pelas traças e mofo. Você negocia uma consignação com uma livraria e perde metade do que poderia lucrar com as vendas. Poucos exemplares são vendidos, isso porque naquela mesma época, a Disney promoveu um mega lançamento de diversos títulos de Star Wars e Heróis Marvel no formato de romances. As prateleiras foram todas tomadas e seus livros foram parar lá no canto da estante.
Você então é chamado para buscar os exemplares restantes e recebe o seu repasse das vendas que mais parece um comissionamento. Você então acaba fazendo uma liquidação pela internet e decide vender tudo a preço de custo, mas no fim das contas, você acabou tendo uma despesa maior. A solução é respirar fundo e praguejar o mercado literário nacional que menosprezou sua obra.

Prepare-se agora para a sacudida de quem também já passou por isso:
- Arrumar um culpado para os seus fracassos é uma atitude imatura.
- O fato de escrever uma boa história não é garantia para o êxito nas vendas.
- Editora por demanda é prestadora de serviço e não é obrigada a promover venda nem marketing de seu livro.
- Livrarias são comércios e não são obrigadas a darem mais atenção a livro nacional independente.
- O mercado editorial é para todos e assim como você, a Disney também está investindo (e muito dinheiro por sinal) para promover seus produtos nas versões literárias também.


Mas não desanime. Procure entender mais como os grandes autores e editoras fizeram para ganhar espaço neste mundo tão competitivo. Nem tudo é feito a base de dinheiro. Criatividade e esperteza para agir no momento certo conta muito e nos dá o merecido espaço.

Leo Vieira


Acompanhe a campanha de incentivo à leitura "Leia + Livros", do Leo Terário.
® Leo Vieira- Direitos Reservados 

6 Comentários

  1. Oi Leo, tudo bem?
    Curti muito o texto.
    Qualidade nem sempre ganha da popularidade e do apelo comercial, infelizmente. Não à toa tem tanta porcaria que é best-seller hahaha!
    O jeito é se utilizar da internet e outros meios de divulgação alternativos pra ganhar mais espaço no mercado.
    Beijos,

    Priscilla
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Priscilla! Obrigado pelo contato.
      Olha, o que eu tenho visto de escritor mimado (paparicado por blogueiros) e depois frustrado por aí...
      E o pior é que o estrelismo é tão doentio que eles não aceitam nenhum tipo de crítica construtiva. Eu não perco mais tempo; quem quiser aprender que pesquise então.
      Parabéns pelo seu blog. Gostei muito.
      Beijos,
      Leo Vieira

      Excluir
  2. Olá Leo. Curti bastante a postagem. Realmente, muitos autores se frustam. As vezes publicam sem planejamento ou então desejam um sucesso imediato. Geralmente nada disso dá certo.
    E muitos se enganam pensando que editoras pro demandas farão um grande trabalho de divulgação.
    Na verdade, hoje em dia, até grandes editoras precisam do apoio dos autores na divulgação.
    Abraços
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gislaine. Obrigado pelo comentário.
      Eu já fui moderador de páginas de denúncias de editoras golpistas e a maioria das reclamações que chegavam eram infundadas. Uma garotada saltitante achando que editoras e blogueiros são responsáveis e também culpados pelo rumo de suas trajetórias literárias...
      Editoras por demanda são maravilhosas para fazer o que muitos autores não sabem, que são montagem (revisão, diagramação e arte da capa) e registro (ISBN, Ficha Catalográfica e Código de Barras) de livros.
      Se livros que tiveram grandes vendas tiveram antes todo o aparato de divulgação, marketing, distribuição e assessoria, por que então um autor iniciante pode achar que o primeiro livro vai ter uma venda estrondosa?
      Cada sonho tem o seu preço. A caminhada é longa e cansativa e tudo dependerá do esforço de cada um.
      O seu blog é muito bom. Parabéns.
      Abraços,
      Leo Vieira

      http://antroliterario.blogspot.com.br/

      Excluir
  3. Olá, Leo.
    Ótima reflexão.
    Na corrida pelas vendas, o autor independente sai atrás. E quando não alcança o sucesso, não adianta colocar a culpa apenas nos outros. É uma questão de mercado. Quem investe mais, ganha mais. Se for para reclamar, temos que mudar toda a estrutura capitalista.
    Além disso, não fazer sucesso não significa que o livro seja ruim. O contrário também é verdadeiro. Basta olhar para os mais vendidos.

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de junho. Serão quatro livros e dois vencedores!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Desbravador. Obrigado pelo comentário.
      Esse exemplo se aplica para muitos outros modelos. Um estudante de medicina pode não ter a mesma sorte profissional que um colega que é filho e neto de médicos conceituados. Agora, se esse estudante será tão profissional quanto à família, é outra situação.
      Eu tive poucas vendas do meu livro. Só que eu não tive prejuízo. Eu aprendi a pensar pequeno.
      O segredo é fazer uma coisa de cada vez e nunca tentar dar um passo maior que a perna.
      Grande abraço,
      Leo Vieira

      http://antroliterario.blogspot.com.br/

      Excluir

Obrigada pela visita e pelo comentário :)