Um pai de segunda viagem, já na casa dos cinquenta, teme não poder fazer parte da vida  de sua filha recém-nascida, dada sua idade já avançada. Para suprir essa possível ausência, o pai escreve em um caderno, suas memórias e ensinamentos que quer deixar para a filha. Expressando seu amor e sentimentos  antes mesmo da filha nascer.
O caderno é escrito desde o nascimento da filha até seu primeiro ano de vida. Nesse meio tempo, mostra-se um pai presente e marido apaixonado, com declarações de amor comoventes, presentes em pequenos detalhes, que o leitor atento consegue perceber. Como por exemplo, dizer que a mulher acorda com "os cabelos trançados pelo travesseiro", ao invés de dizer que acorda com os cabelos bagunçados. São pequenos detalhes como esse que deixam transparecer todo seu amor e atenção.

Aconteceu na Casa das Rosas- Espaço Haroldo de Campos de poesia e literatura, em São Paulo, a exposição "Um corpo estranho", em homenagem ao centenário de publicação do livro "A metamorfose", de Franz Kafka.
A exposição datou do dia 07/11/2015 à 29/02/16, sendo prolongada até o dia 30/03/16.
Estive lá acompanhada de uma amiga e trago algumas impressões da exposição.

Foto: Amanda Medeiros
Este é um livro que transita entre a classificação de novela e conto, escrito em apenas vinte dias no ano de 1912 e publicado em 1915. A temática é a transformação de um homem em inseto e as transformações desencadeadas em sua vida em decorrência disso.

É dividido em três partes. Na primeira, damos de cara com um Gregor Samsa que acorda transformado em um "inseto monstruoso" e o primeiro pensamento que lhe vem à cabeça é questionar o motivo de não ter ouvido o despertador tocar para que pudesse ter ido trabalhar e quando se dá conta de sua nova condição, só vê como um problema quando percebe que não conseguirá ir trabalhar e começa a pensar em como sua família reagirá a isso. Quando a família, que é composta pelo pai, pela mãe e pela irmã, Grete, descobre no que Gregor se transformou, a primeira reação é a de asco, de nojo e se afastam imediatamente. Grete é a única dos familiares que ainda mantém algum contato e o alimenta. Uma das principais preocupações de Gregor é não poder mais sustentar a família e não poder liquidar a dívida dela.

Isso não deveria acontecer (ainda mais no meio literário), mas é sempre bom tocar no assunto, para que o leitor se previna e também faça um auto policiamento.
O APLAUSO é uma coisa maravilhosa. Todos nós gostamos de ter o reconhecimento merecido, seja como escritor, ou como blogueiro ou mesmo nas duas situações. Acontece que devemos saber também como lidar com essas situações.
Uma pergunta chata, porém pertinente: você realmente fica feliz com uma boa notícia de alguém que faz um trabalho semelhante ao seu? Se você parou pra pensar, não se sinta constrangido, mas procure também repensar e rever seus conceitos.
A INVEJA realmente existe para todos. Somos humanos e propensos para qualquer tipo de erro. Mas quando reconhecemos nossos defeitos, demonstramos ser sensatos.

Existem diversos tipos de inveja:
Inveja Descarada: o afetado faz desdém e aponta defeitos e pontos negativos ao blogueiro ou escritor, mas se tivesse oportunidade, tomaria o lugar dele.

Inveja Competitiva: o afetado não suporta ver o seu colega bem que trata logo de "superá-lo", mesmo que ele não tenha mais interesse em publicar livros ou manter blogs.
Não confundir com "ambição", onde a pessoa almeja sem se importar com a felicidade alheia.

Inveja Saudosista: o afetado vive se vangloriando de tempo irrecuperável ("escrevi muitos livros", "tinha milhares de blogueiros associados"), culpando pessoas por conta de sua situação atual ("não vendi livro por causa da editora", "fui lesado por muitos blogueiros") e vive na amargura para qualquer nova ideia ("a livraria que tem que comprar e distribuir meus livros"; "somente irei publicar algo novo quando vender o suficiente na publicação atual").

Inveja Destrutiva: o afetado não gosta de ver nenhum progresso alheio e mancha o seu próprio caráter e reputação para sabotar contra qualquer coisa que não tenha destaque para ele mesmo (alguns chegam a criar perfis fakes para difamar escritores, livros, blogueiros e eventos culturais). Sente uma imensa satisfação quando um projeto alheio não dá certo ou quando o
organizador tem algum problema pessoal.

A inveja é um sentimento vergonhoso e destrutivo. Se ele for alimentado pelo ego, vai se tornar uma síndrome e antes que se dê conta, o afetado estará tomado por uma neurose incontrolável. Pode até parecer um exagero, mas o egocentrismo continua sendo responsável por inúmeros conflitos, divergências e corrompimentos políticos, sociais, além de distúrbios na saúde.
Resumindo: ser do mal não faz bem.

O escritor/blogueiro nobre não inveja ninguém. Ele também não cultiva inimigos e/ou inimizades. Sabemos que não vamos conseguir agradar a todos (principalmente os invejosos), mas aprendemos a ter a sabedoria de não alimentar sentimentos ruins alheios.


Portanto, vamos combater o mal com o bem: vamos desejar sorte, congratular, incentivar, agradecer, ser solidário, ser acessível, ser humilde, desejar o bem e enxergar sempre o lado bom das coisas.
Leo Vieira



Acompanhe a campanha de incentivo à leitura "Leia + Livros", do Leo Terário.


® Leo Vieira- Direitos Reservados

Você lançou um livro, mas os colegas da rede vivem te pedindo um exemplar grátis ou então você é blogueiro, mas os colegas vivem te pedindo pra revisar textos e fazer marketing virtual gratuito, entre outras coisas. Eventos literários são realizados e você acaba gastando muito mais que o programado.
Isso chega a dar uma amargura e ficamos a pensar no motivo de tantos outros terem dado certo.
Mas daí fica a questão: O que é preciso fazer para ser valorizado?

Não existem regras para isso, a não ser a autodivulgação, que deve ser moderada. Exposição demais causa certa estranheza, como se fosse uma "boemia virtual". Aparecer demais em tudo quanto for evento (inclusive os quais você não foi convidado) pode também desgastar a sua imagem.

Há uma frase que diz que "uma conversa é como uma boa refeição: devemos abandoná-la um pouco antes de nos fartar". O profissional que se expõe demais, também tende a parecer inconveniente. Devemos deixar saudade por onde passarmos e fazer a pessoa desejar o nosso breve retorno.
Quanto ao livro, fazer inúmeras postagens virtuais publicitárias podem causar um efeito negativo. Quem nunca foi banido de uma página ou até bloqueado por um amigo virtual por conta de postagens sequenciais inconvenientes? Para vender é preciso atrair atenção, despertar interesse e desejo do leitor e assim você arremata, retirando prontamente um exemplar de sua mochila e assim fechando a venda. No caso de um blogueiro, um profissional interessado
pesquisará no momento certo a sua biografia e assim fará uma boa proposta de trabalho, a qual você dará um certo tempo para analisar.
Esteja sempre preparado e mantenha sua biografia atualizada.
Leo Vieira

Acompanhe a campanha de incentivo à leitura "Leia + Livros", do Leo Terário.

® Leo Vieira- Direitos Reservados


Este livro é o primeiro que leio de Star Wars e acredito que comecei bem. Ele faz parte do selo Legends, ou seja, lendas que ficam a critério do leitor considerar como verdadeiras ou não, mas não fazem parte do cânone oficial.
Faz parte da Trilogia Trhawn, sendo os seguintes "Ascensão da Força Sombria" e "Último Comando", respectivamente, publicada entre 1991 e 1993, por Timothy Zahn.

Há uma frase popular que diz: "quem não vive pra servir, não serve pra viver". A vida da gente somente tem valor quando nos dedicamos a outra e assim nos sentimos gratos por ter tido uma utilidade em um momento tão oportuno.
Devemos sim ter prazer em ajudar, porém devemos ter utilidade nisso. O que adianta fazer algo quando a outra parte pode muito bem fazer? Não seria mais prático ensinar a pescar do que dar o peixe sempre?
É esse um ponto que me deixa muito intrigado. Uma pessoa que não faz questão de aprender e vive te pedindo sempre as mesmas coisas pode sim te fazer repensar a situação. Se o "favor" que você faz costuma ser rotineiro e ainda por cima para alguém que pode muito bem pagar por isso, está na hora de mudar esse quadro. Chame o "cliente" para conversar e pergunte se ele quer aprender ou então honrar o seu trabalho feito gratuitamente com tanta dedicação.
Seja esperto!
Leo Vieira

Acompanhe a campanha de incentivo à leitura "Leia + Livros", do Leo Terário.


® Leo Vieira- Direitos Reservados


A narrativa começa no Rio de Janeiro, em setembro de 2016, com uma cena já em andamento e o suspense que será característico até o findar do livro. Logo no prólogo, o leitor depara-se com uma cena que é impactante:  a explosão do Cristo Redentor. Esse é o marco inicial para uma série de outros atentados  a diversos monumentos históricos ao redor do mundo, em países que são potências mundias: Estados Unidos, Japão, Itália, França. A única coisa que o leitor sabe, é que tais atentados estão ocorrendo por mandato do Chefe. Não se sabe quem é, mas que é uma pessoa extremamente inteligente, dada toda a trama armada para concretização de seus planos.
Após  os árabes, Síria e Irã, assumirem a autoria dos ataques, a ONU reúne os principais líderes dos países atingidos,  para decidirem quais serão suas posições diante dos ataques. Decidiram por uma ofensiva militar e assim inicia-se uma guerra. O Brasil, então, envia seu exército e convoca novas pessoas para alistamento.
Enquanto isso, está acontecendo nos EUA, a corrida presidencial. O atual presidente, Willian Tyler, compete com o novo candidato, James Fillmore.

Fonte: Adoro Cinema
Classificado como drama e com a direção de Marcelo Lordello, este filme parte de uma premissa que leva a outra.
Cris ( Maria Luiza Tavares) e Peu (Geórgio Kokkos) são irmãos. Durante uma viagem a praia, os pais cansados das constantes brigas dos dois, os abandonam na estrada como forma de castigo e talvez para dar-lhes uma lição. Os dois ficam na estrada aguardando o retorno dos pais, quando o irmão decide ir até um posto de gasolina ver se consegue notícias ou pelo menos entrar em contato com alguém. Porém, decide fazer isso sozinho e deixa sua irmã na estrada para o caso dos pais voltarem.
Passada a noite e diante do não retorno do irmão, Cris decide caminhar. Durante seu percurso encontra um rapaz de bicicleta que se oferece para levá-la para a casa dele a fim de alimentá-la.

Quando nos envolvemos no mercado literário e editorial, é comum conhecermos diversos tipos de profissionais, sejam escritores, blogueiros, entre outros. Esses companheiros estarão conosco no meio virtual e também em possíveis encontros presenciais, como eventos culturais, literários e lançamentos de livros.
Uma coisa muito comum de acontecer é um possível desentendimento entre profissionais, gerando uma separação coletiva. Dependendo do grau de popularidade do escritor ou blogueiro, acontece até um verdadeiro divisor de águas. Já presenciei uma situação de briga entre presidentes de academias de letras que gerou um incidente cultural de proporção internacional.

O que devemos então aprender com tudo isso?
Quando publicamos livros e blogs, nos tornamos pessoas públicas. Somos lidos, acompanhados e monitorados. Temos que dar bons exemplos. Precisamos ter classe e sabedoria para lidar com tudo isso. Brigas e desentendimentos podem sim ocorrer, mas ninguém é obrigado a compactuar com isso. Ninguém é obrigado a concordar com todos, mas se cada um fizer a sua parte, ninguém mais fica afetado e ninguém sai perdendo.
Mantenha discrição, esteja disposto a dialogar e não alimente as divergências dos outros.
Leo Vieira

Acompanhe a campanha de incentivo à leitura "Leia + Livros", do Leo Terário.

® Leo Vieira- Direitos Reservados

"... Pra dizer que sem você não há mais nada
Quero ter você bem mais que perto
Com você eu sinto o céu aberto aberto". 
O título e o início é um trecho da música "Ruas de outono", composta pela Ana Carolina. Pois é, como vocês devem estar imaginando, estou de volta!
Os dois meses que fiquei afastada daqui foram muito importantes para me autoconhecer e repensar meus objetivos com o blog.
Senti falta? Senti. Teve momentos que eu quis voltar por querer muito falar sobre algo naquele momento? Teve. E o que eu aprendi com isso tudo? Que não consigo me imaginar sem blogar por muito tempo. Ser blogueira é algo que me complementa.

Surgiram muitas ideias e projetos para tornar o blog melhor e mais diversificado, como escrever sobre filmes e trazer assuntos novos para discussão, além de algumas mudanças que serão postas em prática assim que possível. Então, continuem nos acompanhando para saber das novidades.

Agradeço muito o carinho de todos vocês que aguardaram meu retorno e me deixaram recados tão carinhosos na postagem anterior. Muito obrigada mesmo.