Esta seleção dos melhores contos da Lygia Fagundes Telles é composta por 16 contos escolhido pelo professor universitário, Eduardo Portella.
Dentre o que mais gostei, destaco: “A confissão de Leontina”, que é um dos maiores do livro e esse conto me ganhou porque a personagem principal é muito humana, sua história de vida é muito real como são passíveis de realidade a maior parte dos personagens dos outros contos e suas respectivas histórias. Além desse, gostei também do conto “A mão no ombro”, em que a autora entremeia o que é onírico com o que é real e ao mesmo tempo promove a reflexão acerca do verdadeiro valor que damos às coisas e nos faz pensar que de repente faríamos e veríamos tudo diferente se soubéssemos que a morte nos espreita. Ainda que saibamos, não pensamos nisso.



Mesmo quando os personagens são animais eles apresentam uma humanização surpreendente. Como é o caso do conto “Verde lagarto amarelo” e “Seminário dos ratos”. Alguns de seus contos presentes nessa seleção, como é o caso do supracitado, são guiados por um suspense que faz até com que os olhos percorram mais rápido as páginas afim de desvendarmos logo o mistério, quando não faz o coração bater mais acelerado e uma sobrancelha se sobreerguer de medo, isso aconteceu comigo no conto “As Formigas”, no qual, misteriosamente e sem explicação aparente as formigas montam o esqueleto de um anão durante a madrugada. Além disso, os contos expõe as relações humanas, como o declínio de um casamento, o ciúmes, a separação de um casal de namorados, a admiração velada de uma menina por seu professor, a insistência em um amor não correspondido.


No geral, são contos que mexem com a sensibilidade do leitor e por vezes é difícil não ser tomado por um sentimento de empatia.
O que eu gostei nos contos da autora é que depois lê-los, a história fica para sempre na nossa mente, não é preciso reler novamente para saber do que se trata e isso é ótimo para quem, assim como eu, tem uma memória que deixa a desejar.

A minha única crítica é que passei o livro todo me queixando de que deveria ter um índice para uma consulta rápida dos títulos e para localizar algum determinado conto mais facilmente, quando chego no final do livro é que descubro que o índice está lá. Acho que talvez tivesse sido bom um índice no início e não no final do livro.
Foi meu primeiro contato com a escrita da Lygia Fagundes Telles e agora eu entendo o motivo de tanto amor por essa mulher, ela é mesmo demais e quero ler suas obras.

2 Comentários

  1. Olá, Maria.
    Não conhecia essa coleção de contos, mas fiquei bastante interessado. Primeiro porque necessito desbravar melhor a escrita da Lygia e, em segundo lugar, porque a seleção parece ser boa. Contos que apresentam as relações humanas, contenham personagens reais chamam a minha atenção. Se ainda há certa dose de suspense, melhor ainda.

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de reinauguração. Serão quatro vencedores!

    ResponderExcluir
  2. Oii Maria, tudo bem? Nunca li nada da autora, acredita? Mas quero mudar isso :) Estou louca para ler As meninas, que todos falam muito bem. Ainda mais depois que a autora foi indicada para o nobel de literatura ;)
    Eu não conhecia esse livro de contos, mas também parece ser muito bom =D
    Beijooos
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita e pelo comentário :)
Se você for blogueiro, retribuirei a visita assim que possível.