Intitulei essa postagem com uma frase do filme "O fabuloso destino de Amélie Poulain" porque acho que no momento ela representa um pouco o que estou passando. Uma segunda opção de título seria "isso não é um fim".

Começo a postagem desse jeito pisciano para já prepará-los de antemão para a notícia que trago: tirarei férias do blog. Por tempo indeterminado.
Ficarei sem postar por um período, mas não deixarei de prestigiar o trabalho de meus colegas e amigos, continuarei comentando nos blogs que acompanho e continuarei nas redes sociais.

Essa minha decisão se deu porque eu preciso colocar um mínino de ordem na vida e rever os meus objetivos com o blog.
Enquanto isso, vocês podem ler as postagens anteriores. Tenho carinho especial por muitas e fiz essa pequena lista para deixar como sugestão:
Quotes do livro "Vida e proezas de Aléxis Zorbás";
Motivos para ler os livros nacionais;
Bichinhos de estimação na literatura;
Blogueira do Minhas Impressões ganha honra ao mérito acadêmico,
Entrevista com o autor Lucinei Campos;
Da boca pra dentro- Yohana Sanfer;
O cinema dos melhores e mais brancos;
O dia em que conheci o Milton Hatoum;
Citações de O oceano no fim do caminho;
Frida Kahlo- conexões entre mulheres surrealistas no México.

Não é um adeus, é só um até logo.

Vamos supor que algo que você fez não tenha dado certo.
Só que você não fez nada pra saber o motivo do erro. Nem mesmo saber como podia fazer para reverter a situação. Desta forma, preferiu-se então se fechar e achar que a outra parte é injusta.
O vitimismo existe em vários aspectos. Pode ser um relacionamento frustrado, uma lesa financeira, um constrangimento, etc. Tudo isso quando se aceita a derrota sem fazer nada para apurar.
Tenho visto isso com escritores e também blogueiros. O vitimismo literário é quando uma resenha não sai como o esperado para o autor ou então quando o blogueiro se decepciona com um desprezo de autor parceiro. O pior de tudo é quando nenhuma das partes toma a frente para a apuração.
Para não entrar demais no mérito, o conselho que deixo é: analise os dois lados. Nem sempre o nosso ponto de vista é totalmente correto. Aprendemos muito quando reconhecemos nossos defeitos.

Muitas coisas podemos fazer para melhorar e também para evitar eventuais animosidades.

Leo Vieira

Acompanhe a campanha de incentivo à leitura "Leia + Livros", do Leo Terário.
® Leo Vieira- Direitos Reservados

 

Esta seleção dos melhores contos da Lygia Fagundes Telles é composta por 16 contos escolhido pelo professor universitário, Eduardo Portella.
Dentre o que mais gostei, destaco: “A confissão de Leontina”, que é um dos maiores do livro e esse conto me ganhou porque a personagem principal é muito humana, sua história de vida é muito real como são passíveis de realidade a maior parte dos personagens dos outros contos e suas respectivas histórias. Além desse, gostei também do conto “A mão no ombro”, em que a autora entremeia o que é onírico com o que é real e ao mesmo tempo promove a reflexão acerca do verdadeiro valor que damos às coisas e nos faz pensar que de repente faríamos e veríamos tudo diferente se soubéssemos que a morte nos espreita. Ainda que saibamos, não pensamos nisso.

A literatura envolve tudo o que se possa imaginar. Será que você realmente se diverte o suficiente?
Nem tudo é somente leitura. Muitos livros envolvem pesquisas paralelas. Procure saber mais das curiosidades que o livro oculta. Seja ele um mapa, imagens do local, características de algum personagem estrangeiro, excentricidades, etc. Nem todo autor faz aprofundamento do que já foi formulado na mente dele. Muita coisa também fica aberta para que o leitor possa imaginar junto.

Não fique com preguiça de se envolver mais na leitura do que o próprio autor que escreveu. Pode ter certeza de que você irá se surpreender com muitas preciosidades nas entrelinhas.

Leo Vieira

Acompanhe a campanha de incentivo à leitura "Leia + Livros", do Leo Terário.
® Leo Vieira- Direitos Reservados


Neste livro podemos ver o que aconteceria se todas as pessoas ficassem cegas.
O primeiro caso de cegueira acomete a um homem enquanto ele está esperando o semáforo abrir. Mas não é uma cegueira comum, é branca, como se estivesse mergulhado em um mar de leite. E assim, pouco a pouco, as pessoas vão cegando. Primeiro as que tiveram algum tipo de contato com quem já estava cego e depois aleatoriamente, sem obedecer nenhuma sequência lógica.
O governo trata como um caso de saúde pública e sem saber os motivos que desencadearam a cegueira, buscando prevenir mais casos, resolveram isolar as pessoas que já estavam cegas e as que tiveram algum tipo de contato com elas. Para isso, usaram um manicômio abandonado, colocando  em uma ala os já cegos e em em outra os que ainda não cegaram, sendo todos vigiados por soldados do exército para que não fugissem.

Um projeto pode ser qualquer coisa. Não exatamente de cunho profissional.
Você pode sim desenvolver um evento literário, assim como um lançamento de livro, entre outras coisas. Mas tudo é um projeto.
Esboce antes o que você realmente pretende. calcule o tempo e custos que terá. Faça pautas, corte despesas, faça resumo. Compare também tudo.
Se você ainda não tem nada definido, o seu primeiro projeto é aprender a fazer projetos.
Mantenha pastas com textos e pesquisas do que pretende fazer. Aprimore, se desenvolva, supere-se.

Fique atento às oportunidades para fazer sempre o melhor.

Leo Vieira

Acompanhe a campanha de incentivo à leitura "Leia + Livros", do Leo Terário.
® Leo Vieira- Direitos Reservados


Este livro foi selecionado pelo Programa Petrobras Cultural e publicado pela Companhia das Letras em 2013.

As personagens são três: Oneiro, mãe e filho e a narrativa se dá em primeira pessoa na ótica dessas três personagens, as quais recebem um capítulo inteiro para si. Desse modo, os capítulos são curtos e seguem um padrão de revezamento: oneiro, mãe, oneiro, filho.

O oneiro trabalha no Edifício Midoro Filho, localizado no Centro de São Paulo, próximo da Praça da Sé. Sua função, como a de outros oneiros que lá trabalham, é lidar diretamente com o público. Eles atendem os sonhantes e por meio de miniaturas sugerem palavras, frases ou situações para que o sonhante dê continuidade, tenha alguma reação. Pela política do Edifício, não era permitido que o oneiro atendesse duas pessoas da mesma família, mas esse oneiro atende mãe e depois filho e por mais que nunca tenha se interessado por nenhum sonhante, com esses dois ele beira a obsessão.


Este livro foi publicado em 2012 e reúne um grande número das crônicas publicadas semanalmente no jornal Metrô News, de São Paulo.
A introdução recebe o título de "A Toca do Lobo Mau" e  nela o autor relembra o mito da Caverna, de Platão e com isso já vemos anunciado que seu livro irá ser um incentivo a nos arriscarmos e experimentarmos o novo.

Maurício Nunes é um artista múltiplo e plural e essa plularidade reflete em suas crônicas, que tratam de assuntos diversificados, passando pelo mundo da Música, do Cinema, da Literatura e também dos sentimentos humanos. No meio de tudo isso, ainda promove a reflexão a cerca de como a sociedade esta cada vez mas alienada e de como os valores estão invertidos. Não obstante, faz uso de uma ironia afiada e não se intimida quando tem que fazer alguma crítica, pois todas elas são bem fundamentadas.


Este é um livro de não-ficção, publicado em agosto de 2013 pela editora nVersos.
O livro é o resultado da parceria entre a jornalista Sabrina Abreu e o jovem Rene Silva, morador do Morro do Adeus, umas das treze favelas que compõem o Complexo do Alemão.
Logo no início tem-se um mapa do Complexo, que nos ajuda a nos situarmos geograficamente, além desmistificar aquela ideia que as pessoas tem de que o Complexo do Alemão é uma coisa só, quando na verdade ele é um complexo ( vejam só, rs) de várias comunidades, ou favelas, como preferirem.


Uma coisa que entra na lista de desprestígios do blog e do blogueiro é a controvérsia literária. A mentira exposta através de uma resenha escabrosa é um fator determinante para o definhamento de toda a reputação duramente conquistada. Não desça para esse nível.
Existe sempre o lado negro da força, e isso também se aplica na blogosfera. Existem listas de blogs que não se empenham na qualidade de seus conteúdos e querem lotar a página de curtida, seguidores, visualizações e resenhas, mas se esquecem da qualidade das mesmas. Daí surgem resenhas "rasga-sedas" somente elogiando a obra e o autor e não falando um ponto importante do livro, ou então escrevendo algo que gira somente na sinopse da obra. Tudo para continuar parceiro e ganhar mais livros. Talvez muitos deixam passar, mas com certeza os leitores mais críticos vão perceber a furada e vão deixar de acompanhar o blog.
Uma resenha deve acompanhar aspectos positivos e negativos de forma honesta. Tem que focar em coisas que nem mesmo o autor perceberia. Coisas que fariam até mesmo um leitor que não é fã de tal gênero ter interesse pela obra.

Também não é por isso que o blogueiro vai sentar o sarrafo na obra que ele não gostou. A questão é saber separar o que é mal escrito do que não é o gênero literário do blogueiro. Neste ponto, até as críticas mais honestas serão construtivas e edificantes para todos. 
Leo Vieira



Acompanhe a campanha de incentivo à leitura "Leia + Livros", do Leo Terário.

® Leo Vieira- Direitos Reservados