Já é tradição aqui no blog fazer uma lista com todos os livros que li durante o ano. Encerro 2016 satisfeita com a quantidade de livros lidos, uma vez que li mais que os dois últimos anos, mas é claro que prezo sempre a qualidade das leituras e não a quantidade das mesmas.
 Apesar das autoras mulheres não terem sido maioria, estiveram em grande número nas minhas leituras e isso só tende a aumentar, principalmente porque comecei a participar do clube de leitura Leia Mulheres SP. Também teve bastante diversidade quanto a nacionalidade. Tivemos por aqui Índia, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, México, Uruguai, França, Itália e claro, muitos livros nacionais.
Para o ano de 2017, quero fazer um recorte maior de gênero, raça e nacionalidade.




Parceria só é boa quando todos saem ganhando não é mesmo? Autores, blogueiros e claro, os leitores. 

Pensando nisso, a autora Gislaine Oliveira se juntou aos seus parceiros blogueiros para promover esse super sorteio neste finalzinho de ano. Afinal, 2016 foi um ano tão complicado, não foi? Então por que não encerrar com coisa boa? Que para nós, leitores, significa livros, não é mesmo? 




Então vamos conhecer as regras para que todos possam participar? 

Reprodução internet

Este livro foi publicado em maio deste ano pela editora Multifoco. Logo no prefácio, a autora diz que dedica o livro a todos os adolescentes que estão passando por um momento difícil e diz que eles certamente não estão sozinhos. No final, o leitor pode constatar que realmente, quem tem amigos tem tudo e não está só. Aprende que se estamos passando por um momento difícil, o mais indicado é desabafar com quem confia e não se isolar.


Este é o primeiro livro da autora, publicado pela Ella Editorial e lançado esse ano, na Bienal do Livro de São Paulo.
É um livro de suspense em que conhecemos a história de Johanna Dorne, uma mulher de 41 anos, que trabalha em um biblioteca, mora sozinha e passa seus dias lendo, assistindo e bebendo vinho. Há muitos tempo, ela vive uma vida de isolamento por medo de fazer as pessoas sofrerem. Ela acredita que carrega uma maldição que faz com que todas as pessoas que se aproximam dela sofram.


A premiada autora nigeriana, nasceu em 1977 e vive nos Estados Unidos, é autora de três livros: Meio sol amarelo (2008), Hibisco roxo (2011) e Americanah (2014), todos publicados no Brasil pela Companhia das Letras. É interessante perceber como em sua obra as personagens femininas têm destaque.
Este livro é a transcrição adaptada de um discurso que a autora fez no TEDxEuston, conferência que ocorre anualmente para discutir questões sobre a África, que resultou em um livro de bolso, traduzido por Christina Baum e publicado pelo Companhia das Letras em 2014.
Disponível inicialmente somente na versão digital, no ano seguinte ganhou também uma versão impressa. 


Este é o segundo livro dos autores jornalistas, sendo o primeiro "Entre quatro poderes", escrito com mais dois colegas.
Neste, o protagonista é Antônio, uma criança que já nasceu sem estrutura familiar. Sua mãe era menor de idade e morreu no parto, o pai era um traficante que foi morto e os avós não queriam saber do neto, restando somente um tio, que ele perdeu aos cinco anos de idade.


Há uns anos atrás, bem lá no comecinho do blog, eu acompanhava o blog Meu Meio Devaneio, da Soraya Abuchaim, uma mulher que eu sempre admirei, e ela também acompanhava o Minhas Impressões. Seguimos acompanhando os blogs uma da outra por um bom tempo, até que a Soraya precisou dar um tempo do blog e publicar menos nele para dedicar mais tempo para outras áreas de sua vida. No entanto, aquela admiração que eu sentia por ela nunca diminuiu e eu fiquei muito feliz ao saber da publicação de seu primeiro livro, que é um suspense, gênero que ela gosta muito e sempre resenhava no blog.
Fiquei muito feliz quando ela abriu vagas para parceria e o Minhas Impressões foi um dos selecionados e não por conta de já nos conhecer antes, porque a autora foi imparcial e a seleção foi feita por um especialista em redes, mas sim porque, acredito eu, o blog apresenta um bom serviço no apoio da literatura nacional e espero muito poder contribuir para a divulgação do trabalho dela.
O lançamento oficial do livro foi na Bienal de São Paulo desse ano. Saibam mais abaixo.



É com este livro de poesias que o autor Lucio Panza faz sua estreia no mercado editorial de modo independente. O livro é pequeno no tamanho mas grande em intensidade, com poemas diversificados que têm como principal qualidade as rimas e a sensibilidade na exposição de cada assunto.

Professor Ivan Martin, eu e Mayra
Sábado, dia 17/09, eu participei de um minicurso realizado na Caixa Cultural intitulado: Representações Literárias e Artísticas da Guerra Civil Espanhola, ministrado pelo Ivan Martin, professor do curso de Letras da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). O minicurso começou ás 13h30 e teve duração de quatro horas, com um intervalo para um lanche oferecido pelo próprio museu.


 O Pauliceia Literária é um evento internacional que é realizado anualmente em São Paulo. Esse ano foi a terceira edição, aconteceu entre os dias 15 e 17 de setembro, tendo como homenageado o autor Luís Fernando Veríssimo. Para saber mais sobre o Pauliceia, acesse o site do evento aqui.

Eu só fui um dia do evento e para ver um autor específico: o José Luis Peixoto, autor português. A mesa dele foi a última do festival, mediada pelo crítico literário, Manuel da Costa Pinto.



Este é um filme argentino com direção de Damián Szifron, que inova no formato ao reunir seis histórias paralelas, que num primeiro momento, aparentam não ter nenhum ligação entre elas, mas quando paramos para refletir no absurdo de cada situação e de como esses absurdos seriam cômicos se não fossem trágicos, percebemos que essa é a única coisa em comum. Mesmo assim, o riso é inevitável, como também não dá para evitar o sentimento de identificação com alguma das tramas.


Depois de uma amiga da faculdade ter ido assistir ao filme e indicar com veemência, resolvi assisti-lo também. No dia 07/09, quarta, fui no Caixa Belas Artes e entendi o motivo dela ter falado tão bem do filme.

Dirigido pelo pernambucano Kleber Mendonça Filho, o filme se passa em Recife e conta com a atuação espetacular de Sônia Braga no papel de Clara, uma mulher na casa dos sessenta que mais nova passou por um câncer e agora resiste de forma determinada às investidas de uma construtora que quer comprar seu apartamento para construir algo mais modernizado.
Por ser a única moradora do Edifício Aquarius, recebe ataque de todos os lados, até de sua própria filha, que não entende como a mãe pode recusar a oferta da construtura, uma vez que está sendo oferecido um valor até mais alto do que o apartamento vale.
O espectador vai aos poucos entendendo o motivo de Clara não ceder: há muita lembrança afetiva. Foi lá que ela morou sua vida toda, criou seus filhos, viveu e venceu seu câncer.

No dia 02/09, sexta-feira, cheguei na estação Tietê para pegar o ônibus gratuito para o evento por volta das 15h20 e fui pega de surpresa por uma fila gigantesca que estava dando volta ao redor da estação, mas apesar da longa fila, até que estava andando rápido, de modo que antes das 16h já estava dentro do Pavilhão de Exposições do Anhembi, local do evento.
Nesse dia tinha a sessão oficial de autógrafos do autor Lucinei Campos, às 14h, mas os livros esgotaram antes do horário da sessão dele, o que foi ótimo, claro. Ficamos conversando um pouco e observando o movimento da Bienal e depois eu encontrei por acaso e de forma muito inesperada um amigo que não via há algum tempo, o Rafael Neri. Fiquei ajudando ele em suas compras, encontrei a Aline Furtado, do blog Literalizando Sonhos e a Camilla, do Instagram @camillaeseuslivros. Ainda encontrei a Marcia, do blog Mundo Literário, conversei mais um pouco com o Lucinei juntamente com o Rafael e com a Marcia, num momento interessante de conexão Rio-SP e depois disso fui embora com o Rafael, por volta das 19h30.

Autor Lucinei Campos

Dia 29 foi o quarto dia de Bienal e o meu terceiro no evento, os outros dois foram no dia 26 e 27.
Foi um dia muito divertido e proveitoso, principalmente porque estava acompanhada pelo meu amigo Tiago e da Ani, do Entre Chocolates e Músicas

Ani e Tiago
Nesse dia assisti a três eventos que aconteceram dentro da Bienal. O primeiro foi a palestra que começou 12h, na Arena TodaTeen: Novas Fronteiras Literárias: Ser Escritor na Era Digital, que contou com a participação das autoras Clara Savelli, Aimme Oliveira, Bruna Fontes e os embaixadores do Wattpad no Brasil, Fernanda Cunha e Felipe Santos. As autoras falaram de suas experiências pessoais de publicação, de como começaram a escrever em comunidades do Orkut até conhecerem o Wattpad e então publicarem de forma impressa. Deu para ter uma noção geral de quais são as novas formas de publicação online e seus benefícios, que vão desde a rapidez no retorno da qualidade do livro, passando pela proximidade com autor, até a formação de um mercado de cultura.

Da esquerda para direita: Fernanda Cunha, Aimee Oliveira, Felipe Santos, Bruna Fontes e Clara Savelli

É muito bom ter várias ideias simultâneas. Melhor ainda é quando contamos com equipe pra isso. Porém é importante saber do lado ruim de ter uma equipe e também fazer parte de uma. Qual afinal é o problema em se envolver em parcerias?
Na verdade, são vários problemas. O primeiro deles é que você fica escravo do projeto. Quando você se envolve ou se deixa envolver em projetos alheios, você fica a mercê de uma séries de imprevistos. Você também terá que prestar contas ao chefe ou à equipe (quando você é o organizador).
Outra coisa intrigante é que você não tem ideia se o projeto dará lucro ou então terá o mínimo e retorno. Seguindo nessa linha, começarão a vir os questionamentos que vão ficando cada vez mais agressivos.
Mesmo que não dê em nada o que você definiu, por uma série de motivos, a equipe não irá aceitar justificativas. Os colaboradores querem ver resultados de qualquer jeito. Não irá adiantar culpar os outros por isso.
Os desentendimentos irão aumentar em razão da equipe frustrada. E não é só isso; você também perderá a credibilidade para futuros projetos, além dos dissabores e animosidades. Tudo fruto de um esquema de produção mal elaborado.

Crie sempre um "Plano B". Se não der lucro, cada um receberá um valor parcelado ou então algum serviço no mesmo valor. Valorize a equipe, porque um dia você pode voltar a precisar dela.
Leo Vieira

Acompanhe a campanha de incentivo à leitura "Leia + Livros", do Leo Terário.


® Leo Vieira- Direitos Reservados 

Segundo dia de Bienal e primeiro final de semana.
Em comparação a ontem, percebi mudança desde o momento de pegar o ônibus gratuito na estação Tietê, porque tinha uma fila para entrar. O evento estava muito mais cheio, mal dava para se movimentar e as filas para os sanitários femininos estavam enormes.

Cheguei com a Marcia Lopes, do Mundo Literário, por volta de 13h30. Como já tínhamos a credencial, praticamente entramos direto. Fomos ao estande da Amazon, no qual estava acontecendo um bate-papo com autoras como Bianca Sousa e Catia Mourão. Depois fui encontrar a Nina, do Psicose da Nina e passei o resto do dia com ela, com a Raíssa, do O Outro Lado da Raposa, a Ana, do Entre Chocolates e Músicas e a Izabel, do Hear the Bells. Fomos participar de um evento organizado pela editora Rocco, que promoveu um bate-papo para os fãs de Harry Potter. Todos presentes ganharam uma eco-bag, um pôster e um marcador do novo livro da J.K. Rowling. Ainda foram sorteados um livro ilustrado e um box da série.
Após esse evento fomos ao estande M069, da Ler Editorial, onde encontramos as autoras Clara Savelli, Aimee Oliveira e Larissa Siriani. Conversamos e por volta das 19h saimos de lá.

Hoje foi o primeiro dia da Bienal Internacional do Livro de São Paulo e o meu primeiro no evento também. Pretendo ir nos dias 27, 29, 31, 03 e 04.


Na estação Portuguesa-Tietê peguei um ônibus gratuito disponibilizado pela Bienal e foi muito rápido. Acredito que em menos de dez minutos já estava no local do evento. Fui acompanhada da blogueira Márcia Lopes, do blog Mundo Literando. Tivemos um pouco de dificuldade para nos situarmos no momento de retirar nossas credenciais, mas depois que entendemos onde deveríamos ir, foi super rápido.


Lucinei Campos é um autor carioca que tem encantado e conquistado leitores de todas as idades e de todo o sudeste brasileiro.

Publicou seu primeiro livro, Lavínia e a Árvore dos Tempos, de forma independente em 2014, e seu segundo livro, Lavínia e a Magia Proibida, foi publicado em 2015 na Bienal do Livro do Rio de Janeiro. Seguindo a tradição de um livro por ano, seus leitores aguardam ansiosamente por seu próximo livro ainda em 2016.

Nos eventos em que está presente, é muito comum encontrá-lo vestido de mago, fantasia  que alude a um personagem de seu livro. Dentre toda a carisma e graça, a fantasia é um dos principais atrativos.

Se você vai para a Bienal do Livro de São Paulo esse ano, poderá encontrar esse mago adorável a partir do dia 29/08, no estande M69, da Ler Editorial. Suas sessões oficiais serão nos dias 02/09 (sexta), às 14h e 03/09 (sábado), às 16h.
Podem aparecer para tirar fotos e bater um papo, boas risadas são garantidas.
Na compra de qualquer livro do autor, além de marcadores, você também poderá levar para casa uma varinha temática ou uma caneta de pena.


Nas fotos e postagens, usem a hastag #EncontreioMagoBranco e vamos espalhar a magia nessa Bienal!


Este é um livro narrado em primeira pessoa por Lola Tavares. O livro é uma espécie de diário em que Lola relembra seu relacionamento com Gabriel Vegas. Ela o escreveu como uma forma de "exorcizar" Gabriel de dentro de si. Então sabemos desde a sinopse que o relacionamento deles não deu certo, mas não sabemos o motivo, que é o que vamos descobrindo aos poucos ao longo da narrativa.

Você já pensou em transformar o seu livro ou mesmo o de um amigo, ou outro livro preferido em peça de teatro? Muitas histórias podem ser adaptadas da forma que for, dependendo de sua criatividade.
Antes de tudo, todo livro tem uma forma de contar história. O filme, o gibi, a novela, o desenho animado, a poesia, a canção, etc. Todos eles são ferramentas para apresentar uma história.
O primeiro passo é após você ler e compreender bem a história do livro. A partir daí você vai resumir em tópicos para poder construir o roteiro.
O foco de um roteiro de teatro são os diálogos. Como tudo está concentrado em um palco, com poucas opções para troca de cenários, muitas das cenas visuais terão que ser contadas pelos personagens.
Noções de teatro também ajudam muito. Existem marcações, posturas, dicção, interpretação, entre outras disciplinas. Dominando tudo isso, você terá mais clareza para o que quer passar para o seu elenco e público.
Iluminação e sonoplastia são coisas essenciais, assim como toda a equipe que atua nos bastidores. Saiba operar essas responsabilidades, porque nunca se sabe quando pode ocorrer uma emergência.
Pode parecer bobagem, mas muitos profissionais também aprendem maquiagem e figurino (e até mesmo costura). Isso porque um profissional precisa compreender a linguagem que ele quer passar para o profissional adjunto ao projeto.
Quando tudo estiver estabelecido, com prazos, tabelas e valores; saiba como negociar diretamente com o teatro da escola. Não dependa dos outros e nunca faça nada com a espera de "vamos ver no que dá". Isso porque eventuais prejuízos podem aparecer e quem irá arcar com tudo?! A responsabilidade acaba sobrando nas mãos do produtor.

Calcule sempre de acordo com as suas possibilidades. Não pense alto.
Leo Vieira

Acompanhe a campanha de incentivo à leitura "Leia + Livros", do Leo Terário.


® Leo Vieira- Direitos Reservados 


Esse ano, entre os dias 26/08 e 04/09, acontecerá a vigésima quarta edição da Bienal do Livro de São Paulo e eu estou muito ansiosa e empolgada porque essa é a minha segunda Bienal da vida e a primeira como blogueira! Sem contar que vou conhecer a Nina, do Psicose da Nina, pessoalmente. Então, meu sobrenome já virou ansiedade.

Pensei e pesquisei algumas dicas básicas para quem pretende ir à Bienal esse ano. Espero que sejam úteis.
São elas:

• Vá com roupas e sapatos confortáveis (afinal, você passará muito tempo em pé e andará muito).

• Antes de sair de casa, veja a previsão do tempo para saber se não é uma boa levar uma agasalho e guarda-chuva (São Paulo tem um tempo doido).

• Leve uma mochila grande, de preferência com rodinhas. Principalmente se pretende comprar muitos livros (sua coluna agradecerá).

• Leve uma garrafinha de água e se hidrate (é muito importante se hidratar. Lá terá bebedouros para reabastecer sua garrafa).

• Leve lanches leves e saudáveis. (Lá também terá onde comprar lanches, mas sai muito mais barato se você puder levar de casa).

• Faça uma lista dos livros que pretende comprar (e resista ao desejo de querer comprar tudo que ver pela frente).

• Chegue o mais cedo possível.

• Se for encontrar amigos, marque pontos de encontro com antecedência (vai que o celular fica sem sinal).

• Se puder, também leve dinheiro para comprar os livros (vai que o sinal da máquina de cartões também não funciona).

• Veja a programação antecipadamente e faça um roteiro do que pretende fazer (a programação pode ser encontrada no site da Bienal).

• Leve apenas o necessário (para não ficar carregando peso à toa).

• Tome muito cuidado com objetos pessoais (como celulares, cartões) e documentos (mantenha-os sempre próximo ao corpo).

• Se possível, leve um carregador portátil (para não ficar sem bateria no meio do evento).

• Compre o ingresso pela internet (assim você evita passar algumas horas na fila para comprar).

Você também vai para a Bienal esse ano? Tem mais alguma dica para acrescentar? Divida conosco sua experiência!

Ter projetos é muito bom. As piores épocas de nossa vida são quando lembramos e identificamos que não fizemos absolutamente nada. Não conquistar é uma coisa, mas não fazer nada por onde é muito pior.
Nesses casos, para não perdermos o rumo nas ideias, a melhor alternativa é estabelecer metas através de um projeto.
Mas como não travar em um propósito? Existem várias alternativas que podem ser colocadas em prática.
Antes de tudo, você precisa definir o que quer. Não se perca nas escolhas. Tenha decisão. Não podemos fazer múltiplas coisas ao mesmo tempo. Faça comparativos de aspectos mais positivos antes de escolher.
Você também precisa definir aonde quer chegar. Quem não sabe aonde quer ir, qualquer lugar serve. Tenha um rumo.
Você também precisa ter um prazo pessoal. A vida é feita de prazos. Quando você acorda, você tem um prazo para se arrumar até sair de casa a tempo suficiente para ir trabalhar ou estudar. Da mesma forma você deve ter um prazo de início e fim para cada projeto.
Uma coisa que atrasa e atrapalha qualquer projeto é distribuir tarefas. Evite isso. Parcerias somente dão certo quando a outra parte está completamente engajada. Procure entender e saber resolver todas as tramitações sem depender de ninguém.
Exemplo: se você tem um projeto de livro, não tente depender de um diagramador, um revisor e/ou um capista. Se você não está pagando de imediato, acaba ficando escravo da boa vontade alheia, além de ser constrangedor ser cobrado financeiramente de um serviço que foi resultadode um projeto que não foi à frente.
Não dependa dos outros. Procure aprender e nem tenha preguiça pra isso. Você verá como as ideias florescem quando abrimos a mente para novos aprendizados.

Através desta fórmula, entre outras dicas, você estará pronto para tirar do papel aquele projeto literário, musical e artístico. Boa sorte!
Leo Vieira

Acompanhe a campanha de incentivo à leitura "Leia + Livros", do Leo Terário.


® Leo Vieira- Direitos Reservados 


Neste livro conhecemos Amanda e Lila, duas melhores amigas que vão passar as férias de inverno em um acampamento para músicos, destinado a crianças e adolescentes até 17 anos. Amanda só vai para esse acampamento para fazer companhia a sua amiga e por muita insistência da mesma, uma vez que seus conhecimentos musicais não passam de só saber tocar três músicas na flauta.

Qual o tamanho do seu sonho? Ele é simples, complexo ou surreal? Seja como for, não existe regra básica para seguir a trilha dos sonhos. O maior problema é sonhar sem fazer nada pra alcançar o propósito.
Quando planejamos, seja o que for, devemos esquematizar tudo para que fique o mais próximo da realidade. Isso envolve pesquisas, buscas, comparações, entre outras alternativas.
Se um projeto de livro ficou caro demais, comece a ver um orçamento direto com uma gráfica, assumindo os serviços de revisão, diagramação, capa e registros. Se ainda assim a impressão ficar alta demais, comece a pesquisar sobre livro artesanal e faça uma edição limitada. Há uma frase popular que diz: "quem quer, dá um jeito e quem não quer, dá desculpa".

O mundo é extremamente capaz em nos entristecer e nos desmotivar com empecilhos habituais. Então precisamos reverter isso com criatividade e perseverança.
Leo Vieira

Acompanhe a campanha de incentivo à leitura "Leia + Livros", do Leo Terário.

® Leo Vieira- Direitos Reservados 

Promoções, ofertas, sorteios, contatos, pesquisa de mercado, negociação com livrarias, negociação com gráficas, tramitações a fim de evitar terceirização (onde se acaba gastando mais), tudo isso é essencial para que as despesas sejam reduzidas, além de desenvolver mais o rumo da carreira do escritor e blogueiro. Inclusive, muitas propostas de trabalho surgem aos profissionais que "saem da toca". Nunca em uma época de inclusão digital se pudesse aprender
tanto através da praticidade de um smartfone ou do conforto a casa, em frente a um computador.
Entendemos que pode aparecer alguma indisposição em ter que aprender mais e fazer coisas que não nos competiria, mas devemos sempre pensar que "quem quer dá um jeito e quem não quer, dá uma desculpa".

O conselho desta vez é: use o que tem e faça a diferença.

Leo Vieira

Acompanhe a campanha de incentivo à leitura "Leia + Livros", do Leo Terário.

® Leo Vieira- Direitos Reservados 

Na postagem de apresentação da #MLI2016, no começo do mês, apresentei os livros que pretendia ler durante julho. Hoje trago o resultado do meu desempenho.

Não fui tão ruim quanto poderia ter sido. Afinal, pretender ler sete livros em época de final de semestre na faculdade não é algo muito sensato de se fazer. Apesar disso, finalizo o mês com quatro lidos e um em andamento, sendo que incluí um novo na lista. Desse modo o resultado é 4,5/7.

Relembrando minhas escolhas:

V.O.A.R- Alessandra Ananda
• Dom Casmurro- Machado de Assis (Hype) (em andamento)
Dez Ajustuda- Maria Beaumont ( Encalhado)
• A distância entre nós- Thrity Umrigar (Diversidade)
Star Wars: Marcas da guerra- Chuck Wendig (Outros mundos)
• Acampamento de férias para músicos (nem tão) talentosos- Clara Savelli. (Incluso)

Os que estão com pontinhos são os que foram lidos.


Esta é uma HQ autobiográfica em que o autor suíço, Frederik Peeters, retrata seu relacionamento com Cati, uma mulher soropositiva.

A história começa com ele narrando a primeira vez a viu, ainda adolescente, e  todas as vezes que se viram depois, quando, já adultos, num desses encontros, Cati lhe conta que casou, que teve um filho, mas que está separada. Com o decorrer do tempo, vão ficando cada vez mais próximos até que, antes de iniciarem um relacionamento de fato, ela lhe revela que é portadora do vírus HIV e que seu filho também, esperando que Frederik fosse preferir se afastar, no entanto, o que sente por ela é mais forte e ele decide investir no relacionamento.

Seria maravilhoso que todo iniciante no mundo das letras tivesse um agente de plantão para fazer todas as tramitações possíveis: Burocracias, contratos, intermediações com editoras, distribuidoras e livrarias; contabilidade, repasse de direito autoral, assessoria comercial, contato com o público, agendamento de evento cultural, etc. Mas infelizmente por questões financeiras, somos obrigados a correr atrás de nossos objetivos, o que inclui aprender a
realizar essas tarefas.
Antes de tudo, escritor é leitor e também pesquisador. Antes de ser escritor, somos estudantes. Pesquisar sobre medicina para compor um personagem médico não nos tornará médico também, mas a intenção é convencer através de um personagem bem embasado e verossímil.
Mesmo que a gente não goste de matemática, precisávamos aprender as equações para passar nas provas de matemática, álgebra, geometria, entre outras. Desta maneira, mesmo que não gostemos, temos que ser comunicativos para andarmos longe.

Bons livros sobre jornalismo e marketing vão nos abrir a mente para desenvolver uma boa comunicação entre os possíveis parceiros literários.
Leo Vieira


Acompanhe a campanha de incentivo à leitura "Leia + Livros", do Leo Terário.


® Leo Vieira- Direitos Reservados 


O livro começa com uma pergunta: "- Sinhora, quer criado?". É Ndani que, encantada pelos relatos de uma de suas quatro madrastas que trabalhou como criada na casa de brancos, foge de sua casa para Bissau, para trabalhar como criada na casa de brancos. Depois de muito procurar por alguém que aceite seus serviços, a garota encontra uma casa em que, inicialmente é mal recebida, mas desiste, depois de muito insistir, consegue ser admitida como criada na casa de Maria Deolinda e seu esposo. Mas sua patroa não aceita seu nome, dizendo que é um nome comunista e passa a chamá-la de Maria Daniela.
Ndani, por sua vez, vai para a capital também para fugir de uma maldição posta sobre ela por um líder religiosa de onde morava. A maldição dizia que ela traria infelicidade para todos os relacionamentos em que entrasse, o que faz com que as pessoas que sabem dessa história afastam-se imediatamente.


Este é o primeiro livro de uma tetralogia denominada série napolitana. Neste primeiro romance, nos é narrado em primeira pessoa a infância e adolescência de Elena Greco, que tem por apelido Lenuccia e Lenu. A narrativa começa com o desaparecimento de Lila, Raffaella Cerullo, uma mulher que aos setenta e seis anos, que nunca saiu de Nápoles, sai de casa sem deixar vestígios, recorta até  fotos em que aparecia, então é como se ela nunca tivesse existido, a não ser na memória de quem a conheceu e a partir disso Lenu resolve escrever as memórias que tem com a amiga como uma forma de ir contra a vontade dela de desaparecer por completo, então a escrita é uma forma de eternizar a amiga.

A profissão mais antiga do mundo! Mais antiga até mesmo que a prostituição, porque antes de tudo, a prostituta teve que vender o seu serviço sexual. Por isso, a venda é uma profissão responsável pelo rumo do planeta. Todos nós somos vendedores. Durante a vida, todos vendemos coisas, mesmo que involuntariamente e despercebidamente.
Todo mundo "se vende" (no bom sentido). Nós criamos uma aparência para sermos "comprados" no mercado de trabalho. "Se vender" é bem diferente de "ser vendido". Não podemos nos deixar ser vendidos pela situação.
Quando um profissional se especializa, ele está fazendo uma somatória de pesquisas e aprendizados para colocar em prática no momento certo. Um livro é um resultado de pesquisas.
O escritor está lapidando o seu produto para a venda. Ele precisa vender para poder caminhar melhor na carreira. Um blogueiro também está preparando o seu produto (os blogs) para poder mostrar o seu potencial a ser vendido, em busca de patrocínio.
Talvez até mesmo o escritor pode pensar que não deve vender e que essa função caberia somente à vendedores. Mas devemos saber também que quanto mais nos especializamos, mais amplo fica nosso horizonte para conquista de espaço. Precisamos fazer a diferença!

Leve sempre alguns livros na mochila. Sempre que houver oportunidade, fale de seu trabalho. Sempre haverá uma oportunidade para vender o seu livro. Acredite nisso.
Leo Vieira


Acompanhe a campanha de incentivo à leitura "Leia + Livros", do Leo Terário.
® Leo Vieira- Direitos Reservados 

Patota tem em qualquer lugar. Tinha na nossa época de escola, tem no trabalho, tem na faculdade, tem na igreja, tem na vizinhança, e não poderia ser diferente no meio literário.
É comum ter um grupo especial de amigos que conhecemos e mantemos no meio literário, com blogueiros, revisores, escritores, etc. É muito bom também ser sempre lembrado, principalmente daquele evento literário especial, onde você é primeiramente lembrado para participar. 
O conselho que eu deixo é que fiquem mais atentos quando se sentirem nessa fase. Panelinha é legal, mas deixe a "panela sem tampa".
Isso porque também se perde muita oportunidade quando nos fechamos para novas parcerias e amizades. Às vezes, aquele escritor reservado pode trazer um monte de alunos para o evento e aquela escritora falante representa um número imenso de leitores. Muito se pode compartilhar.

Se algum convidado em potencial tiver um caráter duvidoso, deixe as diferenças de lado e seja cordial. Não impeça uma participação por conta disso. Seja nobre. Todos só têm a ganhar.
Leo Vieira


Acompanhe a campanha de incentivo à leitura "Leia + Livros", do Leo Terário.

® Leo Vieira- Direitos Reservados 

Ontem, o blog completou três anos e para comemorar o aniversário, em parceria com o blog Psicose da Nina, sortearemos um exemplar autografado do livro "Mocassins e All Star", da Clara Savelli e "Pela janela indiscreta", da Aimme Oliveira. Serão dois ganahdores, um livro para cada.
Para participar, é muito simples, basta ler o regulamento, preencher o formulário e torcer para ser o vencedor (a).

Regulamento

-Residir em território nacional ou ter endereço para entrega no Brasil;

-Preencher corretamente as entradas obrigatórias;

-Deixar um e-mail para contato nos comentários;

-Quando se inscrever para receber as postagens por e-mail, é preciso confirmar a assinatura clicando no link enviado para o mesmo.

-Visitar as páginas do Facebook significa curti-las;

-O sorteio terá início no dia 08/07/2016 e término no dia 08/08/2016;

-O  primeiro sorteado ganhará o livro da Clara Savelli e o segundo ganhará o livro da Aimee Oliveira;

-O blog Minhas Impressões entrará em contato com os (as) ganhadores (as) por e-mail e eles (as) terão até 48 horas para responder com seus dados para envio do prêmio. Caso não receba a resposta nesse período de tempo, será feito um novo sorteio;

-O prêmio será enviado em até 60 dias utéis após o recebimento dos dados do ganhador (a);

-Não nos responsabilizamos por extravios, danos causados pelos Correios ou problemas com a entrega. Caso o prêmio retorne, os (as) ganhadores (as) arcarão com o frete para reenvio;

-Os casos omissos nesse regulamento serão resolvidos pelos blogs proponentes. Em caso de dúvidas, entrem em contato pelo e-mail: blogminhasimpressoes@gmail.com.

*Este sorteio é de caráter recreativo/cultural e dispensa autorização da Ministério da Fazenda e da Justiça. Não está vinculado a compra e/ou aquisição de produtos ou serviços e a participação é gratuita.

Boa sorte a todos!

Fonte: Diva Latívia

07.07.16. Três anos de Minhas Impressões.

Essa é uma data que sempre me deixa reflexiva.

Se eu tivesse que resumir tudo o que estou sentindo hoje, a palavra mais adequada seria gratidão.
Sou grata por ter conhecido blogueiros que admiro e que me inspiram, como a Nina, do Psicose da Nina e o Marcos, do Desbravador de Mundos; a Beatriz, do Livro do dia e o Rafa, do Delirium Scribens; autores que são encantadores, como o Lucinei M. Campos, a Yohana Sanfer e a Gislaine Oliveira, que esse ano se tornou parceira do blog. Grata por ter um colaborador tão competente, como é o Leo Viera e por ter leitores muito queridos, que sempre me incentivam a continuar com o blog.

Só posso deixar o meu muito obrigado e adiantar que amanhã teremos sorteio para comemorar.
Fiquem atentos.

Você acha errado que a Disney venha ocupar as prateleiras com romances da série Star Wars, além de adaptações das aventuras Marvel em forma de livros?
Você também acha errado que biografias de jogadores de futebol, além de celebridades virtuais tenham espaço nas livrarias?
Se você acha que sim, então você está errado por achar que isso está errado.

Nosso mercado editorial é democrático e não pode restringir espaço para outras categorias literárias nacionais e estrangeiras, sejam elas romances, biografias entre outras.
A Disney investe centenas de milhões para adaptar seus produtos para inúmeras plataformas, como quadrinhos, cinemas, brinquedos, roupas, desenhos animados e não poderia ser diferente nos livros. Desta mesma forma, as editoras, distribuidoras e livrarias, apostando no grande potencial de vendas, andarão juntas no investimento e lucro.
As biografias de jogadores de futebol, além de políticos, artistas e celebridades virtuais além do potencial de vendas, também despertam curiosidade dos leitores pelo seu exemplo comercial e publicitário. Existem inúmeros profissionais por trás deles trabalhando e lucrando com isso.
Há um jogo comercial muito grande envolvendo muitas empresas prestadoras de serviço.
As óticas das editoras, gráficas, distribuidoras e livrarias sempre foram e sempre serão comerciais. Elas não vão sustentar sonho de escritor sem que isso tenha uma vantagem maior para o lado delas.

Existe uma vida muito complexa quando se quer correr atrás de seus sonhos profissionais, literários e artísticos.
Profissionais investem tempo e dinheiro para conquistar um patamar que muitos escritores nacionais julgam errado (e o pior é quando eles não fazem absolutamente nada para chegar a esse nível).
Você não é melhor do que ninguém. O seu livro não é melhor do que os dos outros. Da mesma forma, existe espaço para todos.


Não condene o estilo literário alheio. Vamos ter mais classe, ética e educação, aprendendo a respeitar quem se dedica mais do que a gente.

Leo Vieira

Acompanhe a campanha de incentivo à leitura "Leia + Livros", do Leo Terário.

® Leo Vieira- Direitos Reservados 


Ano passado eu participei da Maratona Literária de Inverno e foi uma experiência bastante satisfatória, ainda que eu não tenha conseguido ler todos os livros que tinha me proposto.
Esse ano irei participar novamente, mas com uma meta um pouco mais modesta e um agravante que muito provavelmente não vai me permitir ler todos os livros: não estarei de férias da faculdade. Terei aulas durante todo o período da maratona, mesmo assim, irei tentar.


Guylain Vignolles é funcionário de uma usina que destrói livros para a reciclagem. É um homem reservado e de poucos amigos. As únicas pessoas com quem conversa são o vigia da usina onde trabalha, Yvon, um senhor que só fala em versos alexandrinos e Giuseppe.
Guylain, no entanto, não gosta do trabalho que faz, não gosta de ter que destruir livros, por isso, sempre que possível, tenta salvar algumas páginas escondido de seu chefe, o senhor Kowalski. Lia as páginas que conseguia salvar, na ida para seu trabalho, no trem das 6h27. A leitura era feita em voz alta, portanto, todos os outros passageiros ouviam. Nisso, duas senhorinhas irmãs, ouvintes de muito tempo das leituras de Guylian, o convidaram para ler para elas na casa delas. Chegando lá, descobriu que elas moravam em uma casa de repouso e que teria que ler para vários velhinhos, que o acolheram super bem e gostaram muito da leitura, então combinaram que Guylain leria para eles uma vez por semana.