Domingo, dia 25 de outubro, fui na exposição da Frida Kahlo (1907-1954) que está acontecendo aqui em São Paulo. Estive acompanhada de duas amigas da faculdade, a Amanda, que é de Letras e a Isa que cursa História da Arte (e é carioca). Pegamos a seção das 17h às 19h00.

Logo no começo tem um guarda-volumes para guardar mochilas e bolsas grandes, é permitido fotografar as obras, desde de que seja sem flash, mas não pode fazer anotações, o que para mim não faz sentido.

No mercado de trabalho, tudo é muito determinado pela sua forma de se comunicar. Você precisa escrever, elaborar, organizar, definir metas, apresentar organização de todas as maneiras, além de também se expressar em seus direitos às vagas em potencial, seja na proposta de emprego, quanto na mudança de cargo.
A leitura é importante na vida profissional. Quando não lemos, ficamos com tendência à preguiça nos desdobramentos burocráticos. Não ficamos com interesse em pesquisar mais sobre o que a empresa pode nos oferecer, nem mesmo em reciclar nossas especialidades para evoluir seja na empresa ou fora dela. Nem mesmo ficamos motivados para estudar em outra graduação. Como veem; tudo é muito agregado ao que você quer para o seu futuro profissional.

Se você ainda se sente retido em se estimular na leitura, comece com pequenos contos, depois crônicas, livros curtos e por fim, literaturas de vários gêneros. Não tenha preguiça em pesquisar e ler mais sobre o que você está aprendendo. Em breve, verá como toda a leitura abriu a sua mente para aprender mais e se aprimorar nas leituras técnicas na vida profissional.


"Leia + Livros" com Leo Terário
® Leo Vieira- Direitos Reservados 

Posso até parecer ingênua, mas eu nunca pensei que isso fosse acontecer comigo. E agora que aconteceu, não sabia nem o que fazer. Dei um tempo para minha cabeça esfriar e depois de pensar muito resolvi fazer este post. 

Fiquei sabendo recentemente que eu fui plagiada e o pior, isso já faz um tempão, mas por vontade do destino, só fiquei sabendo disso agora. 

Como é de conhecimento de todos que acompanham o blog e as redes sociais, vez ou outra tem algum post sobre o escritor Lucinei Campos ou sobre seus livros. Não faz muito tempo, fiz uma postagem falando da nossa amizade e o parabenizando pela ocasião de seu aniversário. Em maio do ano passado eu o entrevistei e foi justamente essa entrevista que foi plagiada. A pessoa o “entrevistou” em março desse ano e esses dias o Lucinei repostou na página de seu livro o link dessa entrevista. Como eu tenho o hábito de acompanhar o trabalho dele, fui conferir e na primeira pergunta eu falei assim: “nossa, parece com a que eu fiz para ele na minha entrevista”, daí eu li a segunda: “Nossa, essa também”, a terceira “e essa, peraí… são todas minhas perguntas!”. Aí eu fiquei nervosa e quando eu fico nervosa começo a tremer, então eu estava segurando o mouse de uma forma que eu nem sei explicar. Eu não estava conseguindo raciocinar direito, não sabia o que fazer, mas a primeira coisa que fiz foi falar com o autor. Expliquei a situação e ele foi bastante compreensivo, tentou me acalmar e disse que ia tirar o link do ar, o que ele fez no mesmo minuto. 

E assim o jovem leitor estava tão compenetrado em sua leitura quando, de repente, o percurso literário começou a ficar disforme. A leitura que estava tão agradável à algumas páginas, de repente foi ficando incompreensível e desgastante, fazendo o hábito de virar as páginas se tornar automático. As letras se tornaram disformes e todo o rumo se transformou em um aglomerados de "Blábláblá..." e de longe o texto inteiro ficou com cara de "NONONONONONON". O texto ficou incompreensível e você
acaba fazendo uma expressão decepcionada de frente para o livro.
Isso não acontece somente na leitura não. Às vezes, também nos dispersamos em um assunto chato que ouvimos. É claro que nós não somos nenhuma máquina para ficar incansavelmente focados em um estudo ou leitura (recomendo uma pausa de dez minutos a cada uma hora de leitura). O cérebro também precisa de uma pausa para poder "digerir" o conteúdo de informações processadas. Mas não faça pausas para ler outras coisas. Vá para a janela do apartamento ou então para o quintal da casa. Admire uma paisagem, aquário, quadro, ou o que for para recuperar a mente para outra jornada de leitura e/ou escrita. A mente é igual um recipiente; precisa ser esvaziado para receber novo conteúdo e assim vai sucessivamente.

Quando você lê, passa a compreender melhor as palavras, linguagens e significados. Até se dá ao luxo de captar o que o escritor tentou passar através de uma linguagem mais rebuscada e isso chega a ser um prêmio interior, provocando um certo contentamento. Outra coisa boa é quando começamos a compreender o que um professor ou uma pessoa intelectual quer dizer. Isso são uma das demonstrações do poder de compreensão que a leitura proporciona.


"Leia + Livros" com Leo Terário
® Leo Vieira- Direitos Reservados

A melhor parte da vida


Hoje é um dia especial. É o dia em que o autor Lucinei Campos faz aniversário. Como não poderia deixar de ser, venho lhe dar minhas felicitações.

Eu o conheço há mais ou menos dois anos.
Eram meados de 2013, quando, se não me foge a memória, ele me mandou um recado no Skoob divulgando a sinopse de seu livro Lavínia e a Árvore dos Tempos. Eu me interessei pela premissa e o respondi, nos adicionamos como amigos e no dia 16 de outubro o Skoob me mostrou que era seu aniversário e eu o parabenizei. Acho que foi aí que surgiu a primeira centelha de amizade. Desde então passamos a conversar bastante e vai ser estranho o que eu vou dizer agora, mas é este o sentimento, eu sinto como se o livro dele fosse meu também. Sabe quando você quer tanto bem a uma pessoa que as conquistas dela são como se fossem suas conquistas também? É isso que eu sinto. Eu posso dizer que acompanhei quase todo o processo da publicação de LAT, desde quando o livro era só um documento no word, até quando o Lucinei estava procurando editoras e chegou a conclusão de que ele poderia publicar de forma independente. O que aconteceu em junho do ano passado. Agora, LAT é oficialmente um livro, com mais de um ano de vida e muitos leitores pelo Brasil e daqui a pouco, com muitos leitores pelo mundo, porque com todo talento que o Lucinei tem, o céu é o limite. 
O autor já publicou seu segundo livro, Lavínia e a Magia Proibida. Este segundo livro foi publicado também de forma independente na Bienal do Livro Rio desse ano, no dia 6 de agosto. Não preciso nem dizer que o livro foi um sucesso. O autor esteve três dias oficias na Bienal, mas antes do último, não tinha mais livros para vender, eles se esgotaram em um piscar de olhos.

Que coisa boa ter o que escrever. As palavras são brinquedinhos mágicos que nos ajudam a transmitir pensamentos nobres que transformarão a vida de muitos amigos.
Já aconteceu de você "travar" enquanto tenta escolher as palavras corretas para descrever um ambiente? Isso acontece com todos, não é? Pois bem, isso é muito normal. Mas a leitura ajuda a facilitar o processo de escrita.
Talvez você pode até achar que isso não seja importante, mas veja bem; ultimamente as empresas têm dado muita importância na avaliação textual do candidato. Isso porque ele exercita muito através da leitura. O grau de aprendizado também é analisado na escrita. A forma que ele emprega as palavras, e muito mais.
A caligrafia também é analisada, com avaliações psicológicas para observar se ele realmente está falando a verdade e demonstra segurança na ideia que ele quer passar. Mas voltando à escrita, em uma redação se estuda o grau de aprendizado e criatividade que o candidato utilizou para poder se expressar e manifestar se realmente merece tal vaga. A leitura é de extrema importância na vida do leitor e do escritor também.
Você lê, você pensa, você esboça, você lê novamente, você revisa, enfim, tudo é leitura e construção. Somente com leitura aprofundada que você aprenderá a coordenar as palavrinhas úteis para construir grandes obras e expressar os seus estudos acadêmicos.

Da mesma forma, assim como eu estou fazendo agora, faça o mesmo. Estimule a leitura de seus amigos. Desta forma, também aprenderemos todos a nos expressar melhor e assim, ter uma escrita mais criativa e aprofundada em nossos estudos e obras literárias.


"Leia + Livros" com Leo Terário
® Leo Vieira- Direitos Reservados

Venho anunciar para todos que agora o blog tem caixa postal!
E recebemos um presente muito fofo da nossa parceira Bárbara Prado, do blog Myself Here.
Ela nos mandou marcadores e um recadinho muito lindo. Aproveito para agradecê-la publicamente pelo carinho. Foquem na belezura que é a letra dela ^^
Então, vocês já podem me mandar afeto, cartas, marcadores, livros e o que mais desejarem, via Correios. 

Maria Ferreira
Caixa postal 50
Guarulhos-SP
07112-970



É comum em uma conversa faltar aquela palavrinha adequada para a expressão. Por isso algumas pessoas usam tanto gírias e até palavras sem sentido algum. Se você é daqueles que vive dizendo "coisa", "parada", "negócio", entre outras palavras sem nexo, é melhor rever mais os seus conceitos. O português pronunciado corretamente lhe trará muitos benefícios.
A leitura, além de vários outros benefícios, também lhe enriquecerá o vocabulário. Quando a gente lê, aprende palavras mais adequadas para empregar no cotidiano. Já pensou você conversar com a pessoa que gosta e não saber tocar o rumo do assunto por falta de palavra correta? Ou então, pior ainda, quando usamos uma palavra que não tem nada a ver com a situação?! Isso acontece com todos, principalmente em um momento de grande atenção, como em um discurso, por exemplo. Talvez você nem tenha o texto pronto e é obrigado a discursar e agradecer sobre algo. Apresentação de trabalhos na faculdade, apresentação no trabalho, pregação em igreja e outras situações em que terá a atenção de mais de duas pessoas, enfim, qualquer coisa que fuja de uma conversa informal, você terá que usar bem do seu vocabulário. E somente com a leitura que você construirá isso.
Em um livro, palavras repetitivas cansam o leitor. Em um jornal também. O jornalista ou escritor tem que estar bem preparado para nçao fazer o leitor se perder no tédio ao acompanhar as palavras apresentadas na obra. Quanto mais rico e criativo o texto for, mais fácil será o percurso do leitor em sua viagem literária.  A leitura ajuda a construir boa leitura para os que te acompanharem.

Apresente ideias novas e seja criativo. Cuidado para não ser enfadonho e usar coisas obsoletas. Linguagem rebuscada não é sinal de vocabulário rico. Seja modesto na escrita. Apresente um bom conteúdo, sem ter que obrigar o leitor a consultar um dicionário. Com muita leitura, você irá longe na comunicação.



"Leia + Livros" com Leo Terário
® Leo Vieira- Direitos Reservados 


O blog Minhas Impressões, em parceria com o autor Lucinei Campos, vai sortear um exemplar autografado e marcadores do livro Lavínia e a Árvore dos Tempos. Para concorrer, basta seguir o regulamento.

Regulamento
Ter endereço de entrega no Brasil;
Responder nos comentários dessa postagem a seguinte pergunta:

O que você faria se ganhasse uma fada rabugenta e essa fada fosse homem?

Critérios de escolha
O autor escolherá a resposta que julgar ser a melhor.

Duração do concurso
01.10.2015 até 31.10.2015.

Resultado
O resultado será divulgado na página do livro no Facebook no dia 02.11.2015.
Entraremos em contato com o vencedor, que terá até 48h para nos responder, caso contrário será escolhida outra resposta.

Para acompanharem as novidades do livro e as novidades do autor, sugerimos que curtam no Facebook as páginas Lavínia e a Árvore dos Tempos (clicando aqui) e Lucinei Campos (clicando aqui).

Sobre o livro
Lucinei Campos trabalha de forma muito natural e nada forçada situações de bullying que é comum as crianças vivenciarem na escola. Além disso, desconstrói a visão que os filmes e desenhos passam das fadas: de que são criaturinhas pequenas e femininas. Quem disse que uma fada não pode ser um homem? Também insere elementos didáticos em seu livro, como uma forma diferente de contar o episódio do Descobrimento do Brasil e personagens do folclore brasileiro, como o Curupira e o Boitatá. Ainda, promove uma aproximação do modo de se vestir e falar das pessoas que vivem no Norte do país. Com isso, temos um livro que valoriza a cultura nacional. O que é um diferencial num país onde as pessoas costumam dar mais valor ao que vem de fora e esquece o que temos aqui dentro.

Para conferir a resenha completa clique aqui.