"Baladas" é a reunião dos três primeiros livros de poesia de Hilda Hislt: "Presságio", "Balada de Alzira" e "Balada do festival".

Em "Presságio" (1950) nos deparamos com vinte e um poemas que versam sobre a solidão. Solidão de quem ama e a solidão do ser humano. Também fala sobre o amor. O amor correspondido, o amor que vê e não vê barreiras e o amor que nem chegou a ser.

"Me fizeram de pedra
quando eu queria
ser feita de amor"
(estrofe do poema VI, do livro Presságio).

"Balada de Alzira" (1951) é composto por dezessete poemas. Percebi que aqui Hilst já demonstra uma densidade e amadurecimento poético bem maior do que o encontrado no livro anterior, o que surpreende se nos atentarmos para o fato de que é só um ano de distância entre os dois livros.

"Há desconsolo
 permanecendo
 nos meus prelúdios
 de alegria.
 Só tenho a ti
 mas tão distante
 que não me houves.
 Chamo e pergunto
se não me queres
 mas o teu grito
de assentimento
 chega cansado
 ao meu ouvido
e assim cansado
 desaparece
 como um lamento".
(Estrofe do poema XIV, do livro Balada de Alzira).

Vinte poemas compõem "Baladas do festival". Aqui é mais comum a presença de rimas e de poemas mais descrentes da bondade das pessoas.

"Somos humanos e frágeis
 mas antes de tudo, sós".
(Estrofe do poema XX, do livro Balada do festival).

Ao final dessa edição encontramos uma vasta organização das obras publicadas da autora, separados por gênero: poesia, ficção, dramaturgia, coletâneas. Livros seus que foram traduzidos, bibliografias que se encontram em livros, artigos, teses, dissertações, jornais e por fim, uma cronologia suscinta da vida de Hilda Hilst.


8 Comentários

  1. Bom dia,

    Gostei dos poemas, apesar de não ler muito admiro demais, ótima dica....abraço.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Já estudei sobre essa autora numa matéria optativa da faculdade e simplesmente adorei! Não conhecia esses outros contos, mas gostei bastante.

    Beijos!

    http://www.gemeasescritoras.com/

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem?!

    Ultimamente não ando lendo poemas, mas adorei a dica que você deu.

    Beijos, And!

    - Tem post novo: Blog Cantinho da And -

    ResponderExcluir
  4. Adorei a premissa do livro e por mais que eu não curta esse gênero eu achei bem legal, e essa capa monótona!!!
    Bjs
    Myself here

    ResponderExcluir
  5. Oi, oi! Tudo bem? Confesso vergonhosamente que ainda não li nada da Hilda Hilst, mas não é por falta de vontade! Não estou muito acostumada a ler poemas, deveria fazer isso mais vezes justamente porque sempre deparo com alguma coisa da Hilda espalhada pela internet que acaba chamando a minha atenção. Se com pequenas estrofes ela foi capaz disso, imagine com uma obra completa... A dica está anotada! Bjs
    Jéssica - http://lereincrivel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Já ouvi falar da Hilda Hirst, mas confesso que não conheço nada dela. Amei a capa, mas não sei se me animaria a ler.
    Apesar de confiar muito no seu bom gosto rs

    Beijos

    Meu Meio Devaneio

    ResponderExcluir
  7. Daí uma poetisa se depara com um post sobre poesia.. *_*
    Amei, sério.ahahahahha.; Gostei da primeira poesia e fiquei encantada o jeito como você descreveu a obra toda.

    Obrigada pela indicação :)
    beeijos
    http://carolhermanas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi Maria.

    Em pensar que só descobri esse gênero literário a pouco tempo. Acho que existia um preconceito dentro de mim quanto a poesia. Só quando firmei uma parceria com o Bruno Luiz de Mattos para ler o seu livro é que descobri o quanto gostava de poesia! :D Achei lindíssimos esses trechos que você destacou e fiquei "babando" a tela do computador para ler. Já vi um livro parecido com esse aqui na biblioteca da minha cidade, vou pegar e ver se gosto! :D :D
    Bjoks da Gica.

    umaleitoraaquariana.blogspot.com

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita e pelo comentário :)