Ninguém sabe onde terminam
Os caminhos de incêndio
Em que é gostoso dormir.

Perdi-me no labirinto
Para melhor me encontrar.
Os destroços do céu
Desabam sobre mim tremor de pensamento.

Beber
Beber um grande copo de tuas lágrimas
Até cair no chão.
Morrer para despistar,
Morrer pelo imprevisto
Pela dama que se apagou.

Um Comentário

  1. Oi, Maria, tudo bem?

    Linda poesia. As vezes sinto falta de ler algumas aqui pela blogosfera. Adorei.

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita e pelo comentário :)
Se você for blogueiro, retribuirei a visita assim que possível.