Desde a primeira vez que tive contato com uma obra do Calvino, brotou em mim um desejo irreparável de ler todos os livros dele.
O livro Se Um Viajante Numa Noite de Inverno (ufa!) é um dos mais conhecidos e elogiados. Não sei até agora o que dizer sobre. Foi um baque. Um baque porque não esperava tamanha complexidade. Mas é uma complexidade genial.

O livro começa narrando a história de uma pessoa que vai começar a ler um livro. Este livro que vai começar a ser lido é "Se Um Viajante Numa Noite de Inverno", do Italo Calvino. É uma metalinguagem impressionante. Mas aí, o personagem que está lendo o livro, percebe que o livro não tem fim, que a história fica se repetindo, conclui que é um erro de edição e vai na livraria em que comprou para trocar por um que não apresente este erro. O vendedor troca, mas quando ele, o leitor começa a ler, percebe que é um livro totalmente diferente do que ele tinha iniciado a leitura, mesmo assim, ele continua a ler, mas acontece a mesma coisa: o  livro é inacabado e não tem continuação. Ele vai em busca da continuação e de novo não é o livro que ele estava lendo e este ciclo se repete.

Claro que o livro não é tão monótono assim e entre a leitura de um livro e outro, e a busca da continuação correta, a personagem principal que tem o nome de Leitor, conhece a Leitora e sua irmã e mais alguns personagens também aparecem na história.
No final do livro tudo parece se resolver e fazer sentido, mas na verdade, eu achei que isso só intensifica o sentimento de confusão. É um livro confuso, que precisa ser lido com bastante atenção porque qualquer distração pode comprometer o entendimento.

Conversando com uma amigo, ele me disse que a intenção talvez não seja agradar, mas sim não nos deixar indiferentes. Eu concordo. Não dá mesmo para ser indiferente em relação a este livro.




7 Comentários

  1. O mais importante sobre esse livro é que, pela foto, ele parece estar em boas condições de conservação...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro que está! Só para você ter uma ideia, ele fica dentro de um plástico-bolha...

      Excluir
  2. Comecei a ler esse livro uma vez e achei bem diferenciado, li só o primeiro capítulo. Pretendo retomar a leitura um dia, nunca li nada desse autor e já ouvi falar muito bem dele.
    Beijos!

    http://musicaaolongeliteratura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Indecisa entre biblioteconomia e letras? Poxa, Letras, é claro!! hehehe. Brincadeira, Maria =p
    Mas ó: comecei há pouco tempo e estou gostando muito. Se você adora literatura e/ou línguas, vai amar o curso!
    Sobre o livro, nunca li, mas tenho bastante curiosidade. Gostei de ler a sua resenha!

    bjs,
    Carla
    http://linhas--soltas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, vai ser Letras. Está decidido, rs
      Obrigada.

      Excluir
  4. Ainda encararei. Te falei que ia comprar um livro do Calvino para mim mesmo de aniversário, né? Ia comprar esse, mas esgotou, então comprei O barão nas árvores, que você elogiou bastante também. Só a premissa de "Se um viajante..." já é genial, imagino o livro todo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, "O Barão nas Árvores". Até o presente momento foi um dos melhores que eu li do Calvino. Fico feliz que o tenha comprado e espero que goste tanto quanto eu.

      Excluir

Obrigada pela visita e pelo comentário :)
Se você for blogueiro, retribuirei a visita assim que possível.