Até onde vai o limite de um escritor? Você poderia responder? Você poderia se
classificar? Será que você poderia se definir até onde pode ir na escrita? Se você ainda está pensando, desista! Um escritor não pode se reter no processo criativo.
Escrever é uma aventura cansativa, porém gratificante. É um momento em que você define um mundo ainda bruto e desconhecido, onde através de suas palavras e criatividade, irá dar forma e transformar o enredo, com beleza e graça. A suavidade e sabedoria na escolha do momento certo de usar as palavras farão que você se torne um bom guia de mais uma esplendorosa experiência literária, seja ela um texto curto ou um romance.
O experimento é o primeiro passo para a construção do enredo e argumento. A partir daí, você passará a tecer o caminho da aventura. Você precisa sentir a obra que irá apresentar.
E o processo criativo para uma música? Será que você se sente capaz para compor?
Não titubeie na resposta! Todo escritor compõe. A música está por toda a parte e tudo é um processo criativo que precisa ser desenvolvido através do treino e da prática.
As músicas, assim como qualquer outro texto precisam de motivo e conteúdo para existirem. Não crie música somente pela rima, ou a mesma poderá ter vida vaga e curta.
É preciso saber algum instrumento musical para compor? Se souber, melhor. Um violão ou piano ajudam bastante. Se souber cifrar (desenhar notas musicais junto à letra), melhor ainda. Mas isso se desenvolve com o tempo e interesse.
Prepare o gravador (do celular ou do PC), o papel, lápis, borracha, o violão (se
preferir) e mãos à obra!

MELODIA:
Se não quiser fazer com nenhum instrumento (o que eu particularmente, até acho mais prático), se concentre nas notas musicais. Escreva os sons no papel e toque com o lápis, fazendo a leitura das notas. Não tenha pressa. A melodia irá começar a nascer disformemente. Daí você vai observando até que o som vai começar a ficar mais "digerível". O trecho que você mais gostar, selecione e grave. A partir dele, você poderá desenvolver o refrão. E nele você esticará a introdução, a harmonia, o ritmo, o andamento, o refrão e o desfecho.
Com a melodia pré-definida, você já tem uma base para inserir a letra.



LETRA:
A composição geralmente é um conto ou crônica. Nem sempre é um poema, porque ele não pode ser muito limado nas estrofes. Compor uma letra musical é o momento de por melodia em uma história com conteúdo e rimas.
Geralmente terá duas estrofes, cada uma com quatro versos (linhas). A primeira estrofe é a introdução, com uma boa apresentação da história. A segunda é um gancho para conduzir a melodia para o refrão, que também pode ser uma estrofe com quatro linhas ou até mesmo três, com a última com um verso mais longo (sugestão).
O refrão é muito importante porque é o momento em que a energia musical será mais potente. É o momento do ápice da apresentação. Também é com a melodia do refrão que se esboça a introdução musical e até mesmo se escolhe os instrumentos mais compatíveis. Depois, é só fazer a segunda parte da letra (que geralmente tem o mesmo refrão).

E não é só isso. Revise, treine, cante, reescreva, grave e ouça o resultado. Depois é só levar a melodia cifrada (se não souber, encomende o serviço a um profissional) para registro. Grave em estúdio também (com banda), se preferir.
Já imaginou compor uma música para cada livro? Ou quem sabe para cada capítulo e/ou personagem? O que acha de lançar o CD oficial do livro?

Tudo é válido para uma mente criativa bem desenvolvida. O processo para aprimoramento é o mesmo de um romancista: muita leitura, pesquisa, treino e amor pela arte.


Leo Vieira

Há um tempo atrás, o blog foi indicado pelo Samuka do Couplé Literário para responder a esta tag.

Regras:
-Postar uma foto com as cinco melhores capas de sua estante;
-Postar uma foto de um arco-íris com lombada dos livros;
-Responder a dez perguntas;
-Indicar dez blogs para responder a tag.

Cinco melhores capas da minha estante:




Arco-íris com a lombada dos livros:


Perguntas:
1- Como escolheu o nome do blog:
Eu pensei bastante e no final escolhi um nome que tivesse a ver comigo e com o que eu queria que meu blog fosse. Por fim, ficou Minhas Impressões.

2- Quanto tempo se dedica ao blog?
Cerca de duas horas por dia, ou mais.

3- Já teve problemas com comentários anônimos no blog? Qual?
Não, nunca tive esse tipo de problema.

4- Você se inspira em outro blog? Qual?
Não... mas tento pegar o que de melhor algum outro possa me ensinar.

5-  Há quanto tempo está na blogosfera?
Ativamente, oito meses.

6- Quantos blogs visita por dia?
Cerca de quinze.

7- Quantos livros lê por mês?
Uns quatro.

8-  Livros curtos ou grandes?
Grandes.

9- Já ficou sem inspiração para postar? Como superou isso?
Já. Dei um tempo e depois voltei.

10- Pretende mudar algo no blog e 2014?
Pretendo sim.

Blogs que indico:
Who Is Lara
Que Nerdice Alice
Leitora Online
Disco DiVinil
Memórias de Leitura

Categorias:

Oi, gente.
Vim anunciar que agora o Minhas Impressões tem um canal no Youtube!
Não estava pensando em ter um canal, mas gravei um vídeo que postei no Facebook e gostaria que todos tivessem a oportunidade de vê-lo.
Como é de praxe, se quiserem, se inscrevam no canal, se gostarem do vídeo cliquem em gostei e é isso aí.
Acho que o próximo passo é fazer um Instagram.

Qual biblioteca: Biblioteca da Fundação Julita

Enderenço: Rua Nova do Tuparoquera, 117. Jardim são Luiz. CEP: 05820-200. São Paulo- SP.

Livros emprestados: 6




Data do empréstimo: 23/02/2014


Data para devolução: 23/ 04/ 2014

Quais livros:  
" O Príncipe"- Maquiavel;
"A Brincadeira"- Milan Kundera;
" O Visconde Partido ao Meio"- Italo Calvino;
"Dois Irmãos"- Milton Hatoum
"Outsiders"- Susan E. Hinton
"Levantando do chão"- José Saramago.

Eu não sei de onde eu vou tirar tempo para ler esses livros todos. 
 Fui na biblioteca pensando em só pegar um livro, no máximo dois e saio de lá com seis!



"Se você tem dois amigos na vida, você é um cara de sorte. Se você tem um bom amigo, você é mais que um cara de sorte".

"Sabe qual é a pior sensação que se pode ter? Odiar a pessoa que você mais ama nesse mundo".

"(...) Como se a gente só fosse alguém se estivesse junto".

"Nada acaba tanto com você quanto cuidar de outras pessoas".

"Parecia impossível já ter sentido tanta coisa por alguém e de repente não sentir mais nada".


É muito comum na vida de um leitor e/ou escritor ocorrer as conhecidas insônias por conta do texto que está lendo, revisando ou escrevendo. Um escritor sempre perderá a noção do tempo durante as suas imersões literárias.
Mas por que será que a madrugada é um período tão apreciado? Muito simples: a madrugada é praticamente o ápice para que o cérebro possa trabalhar e desenvolver o senso criativo. É nesse momento que temos os sonhos mais absurdos e inimagináveis.
Mas nem sempre nos lembramos deles quando acordamos, exatamente pelo fato da madrugada ser o momento de relaxamento total das ideias. Outro fator que torna a madrugada especial é o silêncio. Quando estamos sem barulho por perto, temos mais capacidade para raciocinar e também nos distraímos muito menos.
Durante o dia, armazenamos informações, imagens, vozes, fisionomias, momentos notáveis, melodias, entre outras preciosidades sem muita importância no momento. De madrugada, quando o corpo começa a se desligar da realidade para o merecido descanso, a mente começa a se agitar e trazer à tona todas essas informações de forma intensiva e até descontrolada. A situação chega a ser incômoda, como um peso de consciência. O momento especial em que você se torna cúmplice de suas ideias apresentadas no papel. Aprecie esse momento porque a noite será longa, coroando mais um dia que valeu a pena.


Só pra ressaltar; esse texto também foi escrito em uma madrugada.


Leo Vieira


Em novembro de 2013, fiz parceria com uma pessoa que tem me ajudado e incentivado muito desde então. É uma pessoa que está sempre presente, que tem minha admiração e  que só acrescenta coisas boas na minha vida. Está pessoa é a Soraya Abuchaim, do blog Meu Meio Devaneio.


O que me chamou a atenção na Mayara Tashiro, foi o fato dela ter colocado na descrição do seu perfil que é estudante de Biblioteconomia, curso que até um tempo atrás eu estava decidida a cursar. Não só isso, mas a forma que ela escreve é boa demais, me lembra a forma que o meu professor de Língua Portuguesa e Literatura falava... Bem, o seu blog é o Silêncio Contagiante. E gente, ela mora na Amazônia! Eu nunca havia tido contato com ninguém da Amazônia. Isso é muito legal!



Ai, ai. O que dizer do Arthur Dias? Ele é mineiro, estuda, acredito eu, Engenharia e tem um blog que me atraiu pela sua originalidade. A começar pelo nome: DiscoDiVinil.
Gosto muito da forma que ele escreve, não sei porquê, mas tenho a impressão que as redações dele só obtinham notas altas.



Meus caros, parceiros. Sejam bem vindos e que possamos todos acrescentar na vida um do outro.



Sinopse Skoob:
"Ousando romper o tradicional tabu chinês contra a discussão de sentimentos sexuais em termos explícitos e analisando de forma tão corajosa o modo como o Partido intervinha na vida privada e afetava as bases emocionais das relações humanas, Anchee Min fez a literatura chinesa dar um salto gigantesco. E, conferindo a seus personagens uma dimensão simultaneamente erótica e política, ela criou uma obra contemporânea com importância e um poder de atração verdadeiramente universais. Em parte o livro pode ser lido como um testemunho cru, em parte comoum drama épico e em parte como um encantamento poético".




"Apaixonar-se é algo tão poderoso que nos faz esquecer quase todo o resto, até mesmo de fazer revolução. Em vez de  querer lutar e destruir as coisas, quer-se encontrar a paz e celebrar a vida. Como o  Partido sabe que as pessoas apaixonadas não estão mais inteiramente sob seu controle, seus líderes sempre temeram profundamente o amor"- Anchee Min, 1993
"Azaleia Vermelha" é uma autobiografia de Anche Min, na qual ela relembra os momentos mais marcantes de sua vida, desde seus cinco anos até sua vida adulta. O livro é dividido em três partes, sendo que na primeira nos conta como foi sua infância, nos apresenta sua família e vemos como foram seus anos na escola, período no qual foi líder da Pequena Guarda Vermelha, durante a Grande Revolução Cultural.

Desde muito pequena, Anchee se mostrava muito responsável. Com apenas cinco anos, já cuidava de si mesma e dos três irmãos, enquanto seus pais tinham que trabalhar o dia todo. Consequência da influência que o Partido exercia na vida das pessoas, todos eram obrigados a acatarem suas ordens e seguir os ensinamentos do presidente Mao.

Na segunda parte, Anchee nos conta como foram os anos em que teve que trabalhar na Fazenda Fogo Vermelho. Com apenas 17 anos, foi destacada para servir nessa Fazenda, trabalhando na lavoura. Um trabalho realmente penoso, cansativo, pesado. Foi durante essa fase de sua vida, que Anchee viveu a experiência central do livro: um envolvimento amoroso com sua superior, Yan. Não que elas sentissem atração por mulheres, mas porque o corpo falou mais alto. claro que esse envolvimento foi mantido em segredo, caso fossem descobertas, seriam seriamente punidas. As coisas começaram a se complicar quando despertam a atençaõ de Lu, vice de Yan que estava querendo ocupar o seu cargo.

A terceira parte do livro, é a que Anchee tem a chance de mudar sua vida: é escolhida para fazer um teste para a escolha da personagem principal de um filme. há outras garotas com quem tem que competir, passa por poucas e boas sofre humilhações e não consegue esquecer Yan. Foi julgada por seu passado, mas mesmo assim, chamou atenção de um homem influente, o Supervisor, pessoa importante, que deu um novo sentido a sua vida.

No final, fiquei muito satisfeita. A Anchee consegui superar seus problemas, que não eram fáceis de serem resolvidos, uma vez que eram problemas que envolvia política, mas ela obteve grande êxito, saiu de um país totalitário e foi para os Estados Unidos.

Me interessei pelo livro porque queria conhecer um pouco mais sobre a história da China e este livro me ofereceu esse conhecimento. Gostei muito do livro, da narrativa e da forma como o amor foi exposto pela autora: um amor puro, sem malícia e principalmente, sem preconceitos.


Dom Quixote de La Mancha era um lunático que se achava um cavaleiro andante, desbravando um pseudo-heroísmo combatendo perigos imaginários.
Profissionais malucos, que adoram sofismar desafios sem provas existem em todos os segmentos, inclusive literários. Isso porque uma mentira precisa ser reforçada, compartilhando com outros, até fazer o próprio falsário acreditar no seu próprio boato e assim, viver de sua biografia fantasiosa em seu mundo ilusório.
E quando a casa começa a cair, junto com a máscara e a reputação, ele começa a se refugiar em uma época em que ele supostamente foi mais famoso, rebuscando momentos, premiações e reconhecimentos inexistentes.
Também já vi muitos exemplos de ex-artistas e até mesmo pregações pastorais surreais, com história de fazer inveja a qualquer imperador de conto de fadas.

Sempre que for compartilhar uma atividade cultural com um mitomaníaco literário, pesquise sempre a biografia e referências. Não fique conivente dos erros dos outros, nem mesmo dê corda para loucuras alheias. Senão você nem será o Sancho Pança e sim o Rocinante (o cavalo do D. Quixote).

Leo Vieira

 Este nês vou começar uma nova coluna. Que é a coluna em que anuncio os eventos literários que acontecerão no  mês. Vou dar maior destaque para os eventos em que nossos autores parceiros estiverem presentes, para que vocês possam conhecê-los, mas também estarei divulgando outros eventos de qualidade.

"O Mochila Literária é uma turnê de escritores nacionais, idealizada pela escritora Adriana Vargas, que percorrerá as principais capitais brasileiras entre o final de 2013 e  nicío de 2014, trazendo além dos autores nacionais, vários blogs literários com o intuito de divulgar e promover o venário nacional e regional. Contando em sua programação com bate-papo com os autores e sess~eos de autógrafos, além da venda dos livros dos autores participantes." -Laury, Blog Maníaca Por Livros

ATENÇÃO BH!!!  Neste dia 15 de fevereiro, nosso autor parceiro Landulfo Almeida, estará presente aí na sua cidade. Oportunidade única na vida, hein!



Pessoal de São Paulo, agora é a vez de vocês!

Evento organizado pelo Maxwell Candido, do blog RPParty.
Quando: 22/02/ 2014
Onde: Parque do Ibirapuera
Horário: 9h:00
Nossos autores parceiros Maickson Alves e Marcel Colombo vão estar presente. Além deles, O Renan Carvalho, autor de "Supernova" e Bruna Camporezi, autora de "Os segredos de Landara", confirmaram presença.
Para mais informações, acessem a pagina do evento no Facebook clicando aqui.


A leitura desse livro foi um grande desafio para mim.
Leio de tudo, mas  ficção científica certamente não é o meu forte porque quando acabo o livro fico me perguntando o que eu entendi, se eu entendi... e com " 2001:Uma odisseia no espaço" não foi diferente.
No sumário do livro, ele é dividido em seis partes, mas na verdade, pode ser resumido em apenas três: A narração da vida primitiva, a viagem a lua e a viagem a Saturno.
 Na primeira temos a narração do cotidiano de um grupo de homens pré-históricos, que são nômades e lutam pela sobrevivência. São totalmente primitivos, ainda não possuem o conhecimento do fogo, dos metais... mas após o surgimento de um monolito, uma pedra que os modificou,  eles foram aprendendo uma nova forma de viver.
Depois dessa parte,  o livro dá um salto enorme em termos de data e vamos para a segunda parte do livro: na qual nos é exposta a viagem de Heywod Floyd para a Lua, onde toma conhecimento da existência de uma placa com formato retangular, que recebeu o nome de AMT-1 com idade maior do que a existência dos seres humanos, o que faz todos pensarem que existiu vida fora do planeta Terra.
Novamente, há um salto na história e agora os astronautas David Bowman e Frank Poole são enviados para Saturno na nave Discovery, que é controlada pelo computador HAL 9000.Pensam que estão indo com a missão de explorar Saturno, mas na verdade, o objetivo da missão é outro, que somente HAL e os outros tripulantes que estão à bordo hibernando, sabem.
Em um determinado momento, a nave começa a presentar alguns problemas e Frank morre em decorrência disto. Bowman passa a desconfiar de HAL e quando confirma suas suspeitas, só lhe resta desligá-lo.
Acho que a falta de linearidade contribui bastante para a minha falta de entendimento.Não sei definir a forma como o livro terminou. Se eu tivesse que escolher uma palavra para caracterizá-lo, seria surreal. Não sei o que pensar sobre. Para vocês terem noção do quanto não sei o que pensar mesmo nem consegui avaliar o livro no Skoob. Ele está lá, sem estrelas, coitado.
Também quero dizer que o livro não e ruim. O autor escreve com uma riqueza de detalhes que às vezes chega até  a ser poético. Certamente é um prato cheio para os amantes de ficção científica.

Agora sobre o autor:
Arthur C. Clarke nasceu dia 16 de dezembro de 1917 na Inglaterra. após o ensino médio se mudou para Londres, onde se tornou membro da Sociedade Interplanetária Britânica e estudou Física e Matemática no King´s College.
Em 1946 vendeu sua primeira história de ficção científica para uma revista e desde então nunca mais parou de escrever. Dentre seus trabalhos mais notáveis estão: "O Fim da Infância", "Encontro com Rama", "As Fontes do Paraíso" e "2002: Uma Odisseia no Espaço".
Em 2000, recebeu o título de Cavaleiro do Império Britânico por conta dos servições que prestou à literatura. É considerado um dos maiores escritores de ficção científica do século 20.
Morreu na cidade de Colombo, no dia 10 de março de 2008, com 90 anos, deixando cem bilhões de livros vendidos no mundo inteiro ( fonte das informações: Sessão "Sobre o autor", no final do livro).


Após dez anos sem uma nova edição, a Editora Aleph lançou uma nova edição, com a tradução de Fábio Fernandes e vários extras: Nota do autor na ocasião do falecimento de Kubrick, as traduções dos contos " A Sentinela" e "Encontro no Alvorecer". Além disso, a editora editou o livro de forma que ele parecesse um bloco preto, sem ter textos na lombada, nem capa ou contracapa, o que fez parecer o monolito citado no livro e chega-se a essa conclusão por ele vir dentro de um box, como na imagem abaixo:

Fonte

"A separação lenta das pessoas que amamos é um veneno: é melhor cortamos de um só talho e ficarmos sozinhos novamente no clima natural do homem, na solidão".

"Assim é o meu coração. Mil vezes perfurado, mil vezes remendado, invencível".

"Mas você segura o leme com firmeza e não esquece para onde orientou a proa, nem nos mais delicados instantes fatais".

"Minha vida tomara um rumo torto, eu havia reduzido meu contato com os homens a um monólogo interior. Decaíra tanto que se precisasse escolher entre me enamorar de uma mulher ou ler um bom livro sobre o amor, eu escolheria o livro"

"Só quando estou falando com você, só com você tenho alguma esperança de aliviar minha melancolia, pois Vossa Senhoria também é como eu, mas não sabe disso".

"É que já tenho um contrato de tempo determinado com a minha vida, solto o freio quando chego a uma inclinação mais perigosa. A vida de cada homem é uma linha com subidas e descidas, e todas as pessoas prudentes andam com o freio".

"Noite e dia eu vivo correndo, faço o que me dá vontade, mesmo que eu me quebre e vire migalhas. O que tenho a perder? Nada. Será que andando sensatamente, eu não me quebraria? Quebraria do mesmo jeito. Então, pé na tábua!".

"Ao lado de Zórbas o tempo adquirira um novo sabor, já não era uma sucessão matemática de acontecimentos, nem um insolúvel problema filosófico em meu interior".

" (...) Eis o caminho, encontrar o grande ritmo e acompanhá-lo confiantemente".

"Cada dor, patrão (...) faz meu coração partir ao  meio, mas ele, que foi tantas e tantas vezes ferido, cicatriza imediatamente e a ferida não aparece. Sou cheio de feridas cicatrizadas, por isso eu aguento".

Chegou dia 5 de fevereiro, o dia em que venho contar se consegui ou não cumprir com o desafio.
Escrevi sobre ele no dia 26 de dezembro (aqui) e quis começar a ler os livros só a partir do dia 1° de janeiro.
Consegui ler todos e por ordem de leitura ficaram assim:
 "O barão nas árvores"- Italo Calvino
"Água para elefantes"- Sara Gruen
"O grande Gatsby"- Francis Scott Fitzgerald
"2001- uma odisseia no espaço"- Arthur C. Clarck
"Vida e prozas de Aléxis Zorbás"- Nikos Kazantzákis

Os três primeiros estão resenhados e os dois últimos em breve terão postagem sobre eles.


Todo escritor tem o seu rumo traçado e seu alvo destacado. Não importa para onde e como será isso, isso não o torna diferente dos demais. Muitos apenas querem publicar para um grupo pequeno e para isso, somente precisa de um pequeno e reduzido lote. Outros esperam se aventurar agressivamente, com metas cada vez mais ambiciosas.
Seja como for, o importante é saber exatamente onde quer chegar e como irá chegar, da mesma forma que um capitão traça o seu caminho marítimo. E para isso é essencial a DECISÃO.
Quando decidimos, ficamos mais firmes em nossas ações. É algo como que se abrissem as alas com as palavras. Isso é extremamente importante não só na caminhada literária, como também em qualquer outra etapa e rumo de sua vida.
Se você ficar meio disperso, xoxo ou dando qualquer brecha de indecisão, pode acabar se tornando um marionete nas mãos dos espertos.
Vou explicar como isso acontece. Infelizmente isso não se exemplifica somente no eixo literário, mas em todo o campo profissional.  O nosso mundo comercial é tomado e imperado pelos "espertos" que sobrevivem dos "bobinhos" que se demonstram perdidos em suas decisões. Esses "espertos" procuram os "bobinhos" para darem partidas em seus projetos particulares, sempre com a história de que "será bom para a sua carreira também".
E no fim, o seu projeto fica "engolido" por ele e quando você notar, apenas colaborou para o projeto alheio, sem conquistar nenhum reconhecimento.
Eu tenho visto muito disso por aí, em especial com atores e autores.

Antes de escolher qualquer rumo profissional, tenha decisão e imponha valor (preço mesmo) em sua atividade, que é profissional.


Leo Vieira


A história toda é narrada por Nick Carraway, que era vizinho de Gatsby e sempre ficava fascinado pelas grandes festas que seu vizinho dava. Não só as festas eram motivo de fascinação, mas também toda riqueza e poder que Gatsby possuía.
Separado por uma baía, do outro lado se encontrava a casa de sua prima Daisy Buchanan, casada com Tom Buchanan e mãe de uma garotinha de três anos. Na primeira visita que Nick faz para sua prima, conhece Miss Baker. uma famosa jogadora de tênis, que tem um papel importante no livro.
Um dia, Nick recebeu um convite para ir em uma das festas de Gatsby e quão surpreso ficou ao perceber que somente ele havia recebido um convite, as outras pessoas simplesmente iam as festas, muitas vezes sem nem mesmo serem convidadas. Foi nesse dia que Nick e Gatsby se conhecerm pessoalmente e a partir daí, passar a ser ver com certa frequência.
Quando Nick conhece Gatsby mais à fundo, seu caráter é posta à prova porque Gatsby pede que ele o ajude com algo e lhe conta a história de sua vida. De como ficou rico e que no passado teve um grande amor, mas que por ter ido servir na guerra e por conta de suas diferenças de classe, ele precisou se afastar, mas, no entanto, nunca a esqueceu. E contou que dava essas festas grandiosas, com a esperança de que um dia ela aparecesse em alguma. E para maior surpresa de Nick, Gatsby revelou que essa mulher, o amor de sua vida, era Daisy, a prima de Nick.
O livro é um emaranhado de histórias que se cruzam, tudo que acontece não é por acas e no final tudo se encaixa, provando que a vida é feita de coincidências.
Nick narra tudo com uma riqueza de detalhes impressionante e usando uma linguagem formal que nos permite ter uma imagem bem clara de tudo.
O livro também é de um enorme valor histórico, pois seu contexto de passa nos anos 1920, quando o Estados Unidos estava em ascensão, a época do jazz e da , da Lei Seca, que ao invés de diminuir o consumo e produção da bebida alcoólica, fez aumentar.
É uma história triste, extremante trise e revoltante. Mas também é uma história de amizade e de reflexão. Nos faz pensar se a verdadeira amizade existe ou se o que temos é uma amizade de conveniência. Com Gatsby foi assim,quando ele mais precisou, não apareceu ninguém e Nick foi o único que permaneceu até o fim.

Gente, hoje eu vim anunciar a parceria que fiz com dois autores super especiais.
 Estava em dúvida se falava de cada um separadamente, mas queria que vocês soubessem o quanto antes dessa novidade e como a parceira com os dois foi proposta e aceita no mesmo dia, acho justo apresentá-los juntamente também.
Nossos dois mais novos, queridos e estimados parceiros são o Marcel Colombo e o Landulfo Almeida.
O Marcel Colombo nasceu em São Paulo no dia 03 de setembro de 1983. Tem formação em Publicidade e publicou seu primeiro livro com apenas 13 anos.
Seu livro "Al- Aisha e os esquecidos", foi lançado em 2012 pela editora Novo Século, sob o selo Novos Talentos da Literatura Brasileira.

Livro no Skoob
Autor no Skoob
Página do livro no Facebook


O Landulfo Almeida nasceu em Brasília no dia 24 de dezembro de 1968. Atualmente mora em Salvador. É graduado em Engenharia Elétrica pela UFBA e pós-graduado em Marketing de Serviços. É apaixonado por literatura fantástica, ficção científica, mas apesar disso é bem eclético.
Seu livro "As duas faces do destino" foi publicado em 2012 pela  editora Novo Século, sob o selo Novos Talentos da Literatura Brasileira.

Livro no Skoob
Autor no Skoob
Página do livro no Facebook


Em breve ambos os livros estarão resenhados aqui. Por enquanto, vamos acompanhando a carreira literária desses dois escritores que eu estimo muito.