Edição:1
Editora: Editora Biruta
ISBN: 9788578480431
Ano: 2010
Páginas: 112

Este livro eu ganhei de presente e quando a pessoa olhou para mim e disse : “escolhe”, confesso que foi difícil. Mas logo descobriria que havia feito uma boa escolha. Na mesma noite comecei a ler e no dia seguinte, a leitura já estava finalizada.
O que me fez escolhe-lo foi o que estava escrito na orelha do livro: ”Sou um homem de duas obsessões. Uma delas é conseguir ler todos os livros do mundo antes de morrer. Sei bem que não conseguirei, mas não importa.
A outra obsessão é a busca e captura de livros. Sempre pensei que, quando alguém pede um livro é porque precisa, e que o desejo deve ser satisfeito”. Eu, no papel de futura bibliotecária, me identifiquei logo de cara.
Segundo o livro, o ano de 2083 é quando não existirão mais livros como nós os conhecemos atualmente. Não existirão mais livros impressos e os que existirem serão raridade, item de colecionador.
Neste ano, há o predomínio da tecnologia, tanto a ponto  de até o papel ter deixado de existir. Caso alguém queira ler um livro, tem que procura-lo na cosmonet e se essas páginas ficam muito tempo sem serem visualizadas, elas caducam, o equivalente a deixar de existir.

Após assistir a uma reportagem no telesensor sobre uma descoberta arqueológica de livros, David pergunta a seu pai, Pa, como eram os livros antigamente. Pa conta como os livros eram fisicamente, como eram mágicos e emocionantes. Contou que eles deixaram de existir porque as pessoas simplesmente deixaram de ler, então foram sendo esquecidos. Além do mais, já tinham sido escaneados  e postos na cosmonet como arquivos digitais, e as pessoas perderam o hábito de comprá-los , já que podiam ler por seus computadores ou leitores eletrônicos portáteis.
Pa trabalha em uma agência chamada Bibliotravel, uma espécie de agência de viagens para dentro dos livros. Ela dispunha de alguns títulos de livros, as pessoas iam lá e se transportavam para dentro das histórias do livro, podendo ser o personagem e depois de sua viagem, voltavam a realidade.

David se interessou muito pelos livros, principalmente depois que soube que seu avô havia sido um escritor. Seu pai lhe mostrou o livro dentro de uma urna transparente e lacrada, pois se fosse aberta, o livro se desintegraria.

Em um dia em que estava sozinho não resistiu à curiosidade e abriu a urna. Em um piscar de olhos, o livro virou pó. Então, é partir daqui que começa as grandes aventuras, pois David não mede esforços para conseguir encontrar outro exemplar do livro antes que seu pai descubra.

David passa a ler livros pelo computador e pede ao pai que o leve em sua agência para viajar nos livros. Sua primeira viagem foi para dentro da Bíblia e viveu a história de Davi. Depois viajou para a “Ilíada”, “Odisséia”, “Dom Quixote” e “Primeiro amor”. Este último mudou o curso de sua vida para sempre.

Eu gostei muito da leitura e também senti muito medo. Talvez a mensagem passada pelo livro, seja uma alerta de como estamos nos deixando influenciar elo progresso da tecnologia.

A verdade é que os e-books estão sendo muito usados  tem realmente muitas pessoa s que preferem ler um livro digital do que compra-lo de uma livraria.
Morro de medo que os livros impressos  deixem de  existir e no que depender de mim, eles sempre existirão.

Deixe um comentário

Obrigada pela visita e pelo comentário :)
Se você for blogueiro, retribuirei a visita assim que possível.