Edição: 1
Editora: Lexia
ISBN: 9788563557865Ano: 2011
Páginas: 316

O livro Alecognição foi lançado em dezembro de 2011.

O que dá título ao livro é uma palavra que não consta no dicionário porque foi criada pelo autor para resumir toda a situação do personagem principal: Galileo. Um garotinho muito esperto de apenas 5 anos. Esta é a primeira demonstração da genialidade do autor, que não poupou ensinamentos em seu primeiro livro.

Logo no início é apresentado ao leitor, o mundo de Construls, o jogo de horogamia e seus jogadores que são demônios. Cinquenta demônios, sendo dados seus nomes e uma breve descrição de cada um. Os demônios possuem características de fácil percepção aqui na vida real. Como por exemplo, uma “demônia” que é cantora e diz que vai desviar as pessoas através de mensagens subliminares postas em suas músicas, o que existe de verdade mesmo que as pessoas não percebam. Os demônios agem de mansinho para os humanos não perceberem, e quando se derem conta, o estrago já vai ter sido feito de forma irreversível.

“O povo da Terra é muito submisso ao desconhecido e flexível ao medo. Dá para agir de olhos fechados”.

Um pouco mais para frente, nos é apresentado Galileo em sua festa de aniversário de cinco anos. Aparentemente, um garotinho comum, com um irmão um pouco mais novo, que vai a escola, que tem amigos e até um amor secreto, Aline, sua coleguinha de classe. Mas, aos poucos, Galileo vai se revelando dono de uma imaginação muito fértil, onde ele dá vida e fala aos seus brinquedos: Nasalvo, um fantoche azul, com nariz grande e branco, Pupi, um cachorrinho de pelúcia e Açúcar (Ou Mel), uma boneca com rosto de porcelana.

Mas as coisas não são tão simples assim: Seus brinquedos na verdade são os demônios do começo do livro, que precisaram se espalhar pelo planeta Terra e muitos ficaram em São Gonçalo, na cidade do Rio de Janeiro, para poderem monitorar seu destruidor: Galileo.

Dos demônios apresentados, têm-se Kalel, Mantro e Sharkara, que se tornaram Nasalvo, Pupi e Açucar, respectivamente.

Até para quem não é cristão, fica perceptível a afronta espiritual que existe entre os humanos e os demônios que tentam roubar nossas forças e fazer com que tudo der errado em nossas vidas.

Mesmo “Alecognição” sendo um livro de ficção, protagonizado por um garoto de cinco anos, os ensinamentos que se podem extrair dessa leitura, são muito úteis. Como a valorização da amizade, a valorização do trabalho e o que realmente está por trás de toda essa maldade que existe no mundo.

Quem se interessou e quer comprar o livro, pode adquiri-lo pelo site da editora Lexia.
E quem quiser saber mais sobre o autor e sua obra, pode fazê-lo pelo Facebook, ou pelo Skoob.

3 Comentários

  1. Oi Maria!
    Que resenha perfeita, parabéns!
    Você colocou bem o que também achei do livro.
    Achei de grande sacada do autor,a forma como colocou as mensagens subliminares, através do programa do Galileo conversando com os personagens infantis. Foi bárbaro, não foi? rs
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Márcia!
      Sim, foi bárbaro. E também gostei muito quando ele usou os signos astrológicos. Quem pensaria naquilo!?

      Excluir
  2. Uau, ta ai um livro que parece ser legal *-*

    @BabiStephane

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita e pelo comentário :)
Se você for blogueiro, retribuirei a visita assim que possível.