Facebook  Revista Mundo Estranho
Recentemente, a revista Mundo Estranho, que faz parte do grupo Editorial Abril, lançou seu primeiro livro: uma coletânea de contos escritos por dez autores de sucesso no Wattpad, plataforma de leitura online. Cada autor ficou responsável por escrever um conto.

Os contos não se relacionam entre si, a única coisa que os liga é o fato de todos se passarem em mundos diferentes, distópicos e ficcionais. O livro possui muitas ilustrações, feitas por Thales Molina, quotes destacados e um projeto gráfico incrível, assinado por Bruna Sanches.


Com exceção de "Para educar crianças feministas", que foi lançado recentemente, este blog já resenhou todos os livros em português brasileiro da autora, agora chegou a vez de resenharmos um livro em português de Portugal.
A coisa à volta do teu pescoço ("The thing around your neck"), foi traduzido do inglês por Ana Saldanha e publicado em 2009 pela editora Dom Quixote, em Portugal.

Esse ano, teremos as editoras Biruta e Gaivota como parceiras aqui do blog e ficamos muito felizes em contar essa novidade!

Para começar, quero que conheçam um pouco sobre elas.


A editora Biruta foi criada em 2000, em São Paulo. Tem como proposta oferecer livros com texto, projeto gráfico e ilustrações harmoniosos entre si, o que resulta em publicações originais e de qualidade, sem nunca subestimar a inteligência do leitor, sejam crianças ou adolescentes.
Publica tanto autores clássicos internacionais, quanto autores contemporâneos nacionais.

Nesse romance de estreia do autor, conhecemos Neil Basset Jr, um ex- redator publicitário que mora em San Francisco (por isso a capa) e atualmente trabalha em uma empresa de informática, Amiante Systemns. Apesar de não ser sua área de atuação, seu chefe tem muito interesse nele por um motivo primordial: a empresa está tentando desenvolver o primeiro computador inteligente do mundo a partir dos diários escritos pelo pai de Neil. 
Para ser considerado inteligente, o computador tem que passar no Teste de Turing, no qual, juízes conversam com um computador e com um ser humano, sem saber qual é qual. Se o computador, por trinta por cento do tempo conseguir convencer os juízes de que não é uma máquina, ele é considerado inteligente.
Além disso, o leitor também pode acompanhar a vida de Neil como um todo, suas relações amorosas, familiares e interpessoais.